Todos os 26 de dezembro é a mesma coisa: milhares de pessoas passam a madrugada de 25 para 26 de dezembro na rua, a reservar lugar às portas da lojas para apanhar os melhores saldos do Boxing Day. O dia depois do natal é mesmo feriado nacional em Inglaterra e na Irlanda e, esteja sol ou chuva (e normalmente as temperaturas são sempre muito baixas nesta época), o Boxing Day puxa os residentes para a rua.

Estima-se que cerca de 30 milhões de consumidores encham as lojas e que gastem, cada um, uma média de 200 euros. Há muitos que só saem de casa durante a tarde de 26 de dezembro, depois do almoço, mas milhares já passaram esta noite na rua à procura de agarrar a melhor oportunidade.

E por cá?

Os portugueses também são amigos dos saldos (quem não gosta?), mas a data da abertura oficial da época por cá é só na próxima segunda-feira, 28 de dezembro, embora muitas lojas optem por reduzir os preços uns dias antes.

Para aproveitar bem as reduções, o melhor é dar atenção ao preço original e ao atual, aconselha a DECO, para confirmar que a compra compensa, de facto.

Saiba ainda que os comerciantes têm de aceitar, por lei, as mesmas formas de pagamento antes, durante e depois dos saldos. E, no caso de uma loja não aceitar a troca de uma peça de roupa com defeito, deve reclamar – tanto no livro de reclamações da loja como para a Defesa do Consumidor, ou para a Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE). No caso de não ter nenhum defeito o comerciante não é obrigado a trocar a peça, apesar de normalmente o fazerem por cortesia.