Ronan Farrow, filho de Woody Allen e Mia Farrow, acredita que reina uma “cultura de impunidade e silêncio” entre os media sobre os alegados abusos sexuais perpetrados pelo cineasta.

A história a que se refere Ronan Farrow é antiga mas continua a dar que falar. Dylan Farrow, filha adotada do casal, alega ter sido sexualmente abusada pelo pai, quando era ainda criança. No entanto, o caso acabou por cair sem que Woody Allen fosse formalmente acusado de qualquer crime.

Anos depois, Ronan Farrow saiu agora em defesa da sua irmã, criticando a “cultura de aquiescência” que existe nos media em relação a Allen.

“Esse tipo de silêncio é errado. É perigoso. Envia uma mensagem às vítimas [de abusos sexuais] de que a angústia de denunciar publicamente o que aconteceu não vale pena. Envia uma mensagem sobre quem nós somos enquanto sociedade, sobre quem nós preferimos ouvir e quem nós decidimos ignorar. Quem tem importância e quem não”, escreveu Ronan Farrow, no Hollywood Reporter.

As palavras do único filho biológico de Woody Allen mereceram o destaque do jornal britânico The Guardian. Entre muitas críticas à forma como os media cobriram todo caso, Farrow admite que se “esforçou muito” para se afastar da “história pública dolorosa da família”. “[Aprendi] a cultivar a distância”, revela.

Depois de muito tempo sem se pronunciar sobre as acusações da irmã, Ronan Farrow diz agora não ter dúvidas sobre os alegados abusos sexuais perpetrados pelo cineasta. “Eu acredito na minha irmã”, escreve.

Woody Allen e Mia Farrow estiveram juntos durante 12 anos (1980-1992). Nesse ano, o realizador nova-iorquino começou uma relação com Soon Yi, filha adotiva de Mia Farrow e Andre Previn.

Depois da separação, Mia Farrow terá acusado Woody Allen de ter abusado sexualmente da filha adotiva do casal, Dylan Farrow, que teria sete anos. O cineasta sempre negou as acusações. Uma investigação realizada por especialistas independentes indicados pela justiça não encontrou evidências que confirmem os alegados abusos sexuais. Woody Allen não foi acusado de qualquer crime.