Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O anúncio acabou de ser feito pela empresa eslovaca que surpreendeu o mundo em 2010, altura em que revelou este projecto. Seis anos depois e mais de 10 milhões de euros investidos, a companhia sedeada nos arredores de Bratislava, a capital da Eslováquia, garantiu hoje que estará pronta para colocar no ar, em 2018, o AeroMobil – um misto de carro e de avião, que anuncia uma autonomia de 750 km e cujos requisitos operacionais são simples: 300 metros para descolar e de cerca de 200 metros para aterrar.

Tudo isto, pela módica quantia de 60.000€ – valor que pode até duplicar, mediante os extras solicitados pelo comprador. Está claro que não basta ter poder de compra: para conduzir este veículo serão necessárias, pelo menos, 40 horas de voo.

Com chassi próprio e motor a gasolina, o AeroMobil tem na sua base dois protótipos, o 2.5 e o 3.0, que darão origem a um sucessor devidamente certificado como ultra-leve pelas autoridades e adaptado às infra-estruturas aeroportuárias. Veja o que é capaz de fazer o 3.0:

[jwplatform iprytucd]

Os ensaios começaram há ano e meio e, neste momento, estão a ser testados 54 motores antes de ser possível efectuar encomendas, o que ocorrerá já no próximo ano.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR