O internacional português Cristiano Ronaldo incorre numa pena de seis anos de prisão, segundo o que José María Mollinedo, secretário geral do sindicato dos técnicos do fisco espanhol, assegurou à rádio catalã RAC1. Em causa está a notícia de que o jogador terá ocultado pelo menos 150 milhões de euros, tendo em conta direitos de imagem, num paraíso fiscal nas Ilhas Virgens Britânicas.

Citado pelo jornal espanhol Mundo Desportivo, Mollinedo afirmou que as informações sobre Ronaldo levam a crer que o jogador terá cometido uma fraude fiscal superior a 160 milhões de euros. “[A confirmar-se] Estaríamos perante um delito fiscal agravado. Isto pressupõe uma pena de prisão mínima de dois anos por cada ano de infração. Se a investigação está aberta há três anos, a pena mínima será de seis anos de prisão”, afirmou.

No entanto, Ronaldo poderá reduzir a pena caso siga o exemplo de outros futebolistas, tal como Lionel Messi: “Se reconhecer judicialmente os factos e pagar a quota defraudada antes de passar dois meses desde o início da investigação penal, a pena pode ser reduzida”.