A expressão fora de água de Richard ‘Dog’ Marsh, o treinador australiano de Frederico Morais, dizia quase tudo: mesmo com uns óculos escuros que tapavam bem a cara, era demasiado evidente a emoção que transparecia entre o punho fechado em sinal de vitória e o sorriso bem rasgado na cara. Kikas está a fazer história no Open J-Bay, na África do Sul, e conseguiu tornar-se o primeiro português de sempre a atingir a final de uma etapa do World Tour, o Circuito Mundial que junta os melhores dos melhores do surf.

[Leia aqui o resultado da final, que Kikas perdeu]

Três dias históricos mereciam um final mais feliz: Frederico Morais fica no segundo lugar em Jeffreys Bay

E se antes tinha eliminado o tricampeão mundial Mick Fanning (em 2007, 2009 e 2013) e o atual detentor do título, John John Florence, esta manhã de quinta-feira o surfista de Cascais conseguiu superar mais um antigo líder do Circuito, o campeão de 2014 Gabriel Medina.

Em apenas duas ondas, Frederico Morais conseguiu colocar a fasquia em 17.37 (8.10 e 9.27), colocando o brasileiro a necessitar de uma combinação (contava apenas com um 6.93). No entanto, o máximo que Medina conseguiu foi mesmo um 7.77, terminando o heat com 14.70. Kikas conseguiu mais duas notas cinco, que em nada influenciaram a passagem à bateria decisiva da sexta prova do Circuito Mundial.

“O mar estava outra vez bom. Sabia que o Gabriel seria muito complicado. Já nos tínhamos encontrado e o início foi muito parecido, com os dois muito longe do ponto e a tentar conseguir prioridade. Consegui divertir-me! Às vezes dá vontade de apanhar as ondas todas mas temos de esperar e escolher as melhores”, comentou Frederico Morais ao canal do World Surf League depois da prova.

Na final, Frederico Morais vai encontrar o vencedor da outra meia-final, Filipe Toledo, que teve mais uma exibição de luxo contra Julian Wilson (16.63-11.33). A bateria arrancou logo a seguir ao heat de Kikas, sendo que a final vai realizar-se ainda esta manhã.

O dia tinha começado com duas grandes surpresas de manhã, com o brasileiro Toledo a dar espetáculo frente ao sul-africano Jordy Smith (18.70-13.26) e o australiano Wilson a bater o compatriota Matt Wilkinson (16.07-14.77).

Ainda assim, Wilkinson manteve a liderança do Circuito Mundial, pois também John John Florence e Jordy Smith foram eliminados nos quartos-de-final, ao passo que Owen Wright tinha caído na quinta ronda. Frederico Morais, com o apuramento para a final, já garantiu pelo menos o 12.º lugar a cinco provas do final do Circuito Mundial (ultrapassando Michel Bourez), mas o triunfo em J-Bay valerá a entrada no top-10.