Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

De forma mais ou menos assumida, o nome de André Cruz já era conhecido como parte integrante da estrutura para o futebol idealizada por João Benedito em caso de vitória nas eleições do Sporting. Ainda assim, o antigo capitão do futsal verde e branco, atualmente gestor, tinha outra surpresa bem guardada para a apresentação ao final da tarde numa unidade hoteleira em Lisboa: Peter Schmeichel, antigo guarda-redes campeão com o central brasileiro em 2000, fará também parte da equipa construída pelo ex-internacional português, assumindo a pasta das Relações Internacionais da formação verde e branca.

André Cruz, o central bicampeão que colocava os livres na gaveta e que pode regressar ao Sporting

Retirado desde 2003, com passagens pelo Aston Villa e pelo Manchester City depois dos dois anos ao serviço do Sporting entre 1999 e 2001, o “Grand Danois”, como era também conhecido, nunca deixou de manter a ligação ao futebol, sobretudo em programas televisivos como aconteceu ainda recentemente no Campeonato do Mundo da Rússia. O dinamarquês, pai de Kasper Schmeichel, atual dono da baliza dos escandinavos, é considerado um dos melhores guarda-redes de sempre sobretudo pelos oito anos passados no Manchester United após ter brilhado no Bröndby, onde ganhou uma das Liga dos Campeões (com uma inesquecível reviravolta nos descontos frente ao Bayern por 2-1 em 1999, com golos de Sheringham e Solskjaer), cinco Campeonatos, três Taças de Inglaterra, uma Taça da Liga, quatro Supertaças e uma Supertaça Europeia, além de ter sido campeão europeu de seleções em 1992, ano em que a Dinamarca acabou por ser repescada em vez da Jugoslávia.

Nos leões, Schmeichel foi um dos principais obreiros (a par de André Cruz) da quebra do jejum de títulos em 2000, com uma vitória por 4-0 com o Salgueiros em Vidal Pinheiro a carimbar a conquista do Campeonato na última jornada. O dinamarquês, que provocava autênticas romarias aos antigos campos de treino de Alvalade, ganhou ainda uma Supertaça, com o FC Porto.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“Lembro-me do dia em que assinei pelo Sporting. A negociação durou horas. Chegámos finalmente a acordo às 4h da manhã e só pensava em ir para o hotel descansar e pensar no futuro mas o presidente levou-me para uma sala, onde estavam os jornalistas e disse: ‘Assinámos com o Schmeichel, portanto vamos ser campeões’. Fiquei em choque”, recordou o antigo guarda-redes em 2012, numa ação onde estavam outros ex-companheiros no clube como Pedro Barbosa, Beto e Vidigal. “Viemos do jogo com o Salgueiros e fomos para Alvalade onde nos esperavam milhares de pessoas. Começámos a entrar em campo, um a um, por ordem dos números, por isso fui o primeiro. Mas só entraram em campo três ou quatro jogadores porque os adeptos invadiram o terreno e tivemos que fugir dali a correr. Lembro-me que estivemos mais de uma hora no balneário a comemorar… mas nem tínhamos cerveja, nem champanhe, nem água”, contou ainda sobre a noite da quebra do jejum de 2000.

“É um reforço que nos traz muito orgulho e confiança porque o Sporting só terá futuro com trabalho e competência. O Sporting necessita de recuperar também dos danos internacionais na sua imagem. É um prazer ter de regresso a Alvalade alguém com conhecimentos e um estatuto que garante a melhor representação em termos internacionais do clube”, destacou João Benedito, antes da passagem de um vídeo do dinamarquês gravado em Miami, onde está agora de férias após cinco semanas de trabalho na Rússia durante o Campeonato do Mundo. “Fui muito feliz como jogador no Sporting. Não posso estar hoje na apresentação mas vou juntar-me a vocês, ao André Cruz, para podermos conquistar o título”, destacou o antigo número 1.

João Benedito explicou também a opção de André Cruz para diretor desportivo em caso de vitória no sufrágio eleitoral. “A escolha foi feita após várias reuniões em Lisboa. A forma como foi acrescentando valor ao nosso projeto, com o qual se identificou desde a primeira hora, a intensidade com que vive o Sporting e a ambição que tem dão-nos as garantias de que estará à altura das exigências. Também em sintonia com o André existe o fortíssimo objetivo de garantir que a formação continue a descobrir, desenvolver e potenciar jovens talentos para a equipa principal e assegurar mecanismos que nos permitam observar e avaliar jovens jogadores de forma mais eficiente”, salientou o antigo capitão verde e branco.

“Estou muito feliz por voltar ao clube onde mais venci e onde mais fui reconhecido. A ideia é voltar para ser campeão, tal como fui como jogador. O Sporting não pode ficar tanto sempre sem vencer e depois tem de manter a regularidade, não consigo imaginar um clube com esta dimensão a vencer apenas a cada 18 anos. Queremos um Sporting campeão, a formar ainda mais do que já forma. Ainda agora estive em Itália, no mês passado, e falam-me do Sporting como uma referência na formação não só de jogadores mas também de treinadores”, contou o antigo internacional brasileiro.

Por fim, Benedito apresentou ainda Pedro Lopes da Mata, médico especialista em imunoalergologia e medicina desportiva que curiosamente chegou a ser professor de Frederico Varandas, antigo responsável clínico dos leões e atual candidato à liderança do Sporting, como responsável do Sporting Performance. “Esta é uma ideia do João, que percebeu tudo o que lhe faltou como atleta para ser ainda melhor do que foi e estudou exemplos como o Milan Lab, o Red Bull ou os centros americanos. Queremos sobretudo otimizar o rendimento de cada um dos atletas com os melhores meios humanos e tecnológicos”, resumiu antes de pormenorizar as ações que o novo gabinete irá realizar antes e depois da contratação dos atletas.

À margem da apresentação da estrutura do futebol e de todo o organograma preparado caso seja eleito, João Benedito falou depois das eleições e não teve dúvidas em defender, mais do que uma vez, que a maior diferença em relação às restantes candidaturas está relacionada com a independência que consegue ter.

“Não tive dificuldades em convencer nem o André Cruz nem o Peter Schmeichel porque este projeto vale por si. Comentários ao que tem vindo a ser dito pelas outras candidaturas? No Sporting aprendi a ter valores e um deles é respeitar os próximos. Enquanto os outros falam, nós fazemos. Temos uma candidatura independente, paga por mim, não precisamos de padrinhos ou de amigos. Da mesma forma como fui buscar aos Núcleos uma pessoa para os Núcleos, fui buscar para o futebol antigos atletas que são mais do que isso, são atletas campeões, que sabem o que é ganhar. Bruno de Carvalho diz que tenho ‘brunistas’ tal como Carlos Vieira? Não, a única coisa que temos em comum é termos vários sportinguistas. É bom ver que nos tentam atacar mas para mim só haverá sempre sportinguistas, é isso que as pessoas do Sporting são. Como na altura das eleições o mercado estará fechado, acredito que com esta equipa poderemos mudar mentalidades de imediato, isso sim, além do trabalho que será feito a médio e longo prazo. José Peseiro será o nosso treinador, espero que na altura das eleições tenhamos 12 pontos para depois somarmos 15 em Braga, 18 com o Marítimo e por aí adiante”, comentou o gestor.

Peter Schmeichel junta-se à candidatura Raça e Futuro

Um reforço com Raça de Campeão: Peter Schmeichel será Assessor da Administração com a Área Internacional.

Posted by João Benedito – Candidatura Raça e Futuro on Tuesday, July 31, 2018