EDP Cool Jazz

Jamie Cullum regressa ao festival Cool Jazz em 2019

Há um ano atuou no festival, no Parque dos Poetas, em Oeiras. No próximo ano, Jamie Cullum regressará ao EDP Cool Jazz, mas para tocar no Hipódromo Manuel Possolo, em Cascais, onde atuou em 2001.

Jamie Cullum, de 39 anos, voltará a atuar no hipódromo de Cascais onde deu concerto em 2001

Robertus Pudyanto/Getty Images

O cantor inglês de pop-jazz Jamie Cullum vai atuar na próxima edição do EDP Cool Jazz, anunciou a organização do festival. O concerto acontecerá no Hipódromo Manuel Possolo, em Cascais, e está agendado para o dia 20 de julho de 2019.

Jamie Cullum já tinha atuado neste festival em 2013 e em 2017, tendo-se apresentado ao público no verão do ano passado como “um velho amigo” de Lisboa e dos portugueses. Curiosamente, o autor de canções como “Gran Torino” (que serviu de banda-sonora ao filme de Clint Eastwood), “Everlasting Love” e “These Are the Days”  já tinha atuado no Hipódromo Manuel Possolo, mas há muitos anos, em 2001.

O músico inglês já não edita um álbum de estúdio de originais há quatro anos, mas estará a trabalhar atualmente no sucessor do disco Interlude, do qual se conhece já um single, “Work of Art”.

A próxima edição do EDP Cool Jazz será a segunda edição do festival a decorrer exclusivamente em Cascais. Nos últimos anos, o festival tinha-se realizado em alguns espaços abertos do concelho de Oeiras, como o Parque dos Poetas e os Jardins Marquês de Pombal. No último ano, o festival voltou a Cascais, que já tinha acolhido concertos do festival nas suas primeiras edições, época em que o Cool Jazz acontecia como festival itinerante na vila do Hipódromo Manuel Possolo e nos concelhos de Mafra, Sintra e Oeiras.

Aquando da mudança, a programadora do festival Karla Campos e o vice-presidente da câmara municipal cascalense deram uma entrevista ao Observador em que consideraram a mudança “natural”, dado o registo do festival, as características de Cascais e o facto de este concelho ter acolhido em tempos um festival importante que entretanto deixou de existir, o Cascais Jazz.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: gcorreia@observador.pt
Descobrimentos

Uma lança em África /premium

P. Gonçalo Portocarrero de Almada
213

Neste tempo, em que muitos se orgulham do que os deveria envergonhar, também há quem se envergonhe das glórias da história de Portugal.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)