Quando Henry Xia fundou a sua startup em 2014, admitiu à partida ter sido altamente influenciado pela Tesla, construtor que diz ter como exemplo. O facto de este ter disponibilizado as suas patentes facilitou ainda mais a tarefa da sua Xiaopeng Motors, que passados apenas quatro anos apresentou o Xpeng G3, cujo interior tem muito de Model S.

Ao contrário de alguns fabricantes chineses, que copiam descaradamente veículos americanos e europeus, a Xiaopeng Motors seguiu uma estratégia distinta, moralmente correcta e até inatacável sob o ponto de vista legal. Uma vez que a Tesla abriu ao mundo a sua tecnologia, Henry Xia aproveitou essa abertura para, num espaço de meses, evoluir aquilo que só conseguiria após anos – e milhões de euros – de investigação e desenvolvimento.

Não se sabe quanto dessa tecnologia partilhada é utilizada no primeiro veículo da Xiaopeng Motors, tanto mais que o SUV chinês aponta a uma clientela menos exigente, no que respeita às acelerações. O Xpeng G3, lançado esta semana, monta um motor eléctrico que fornece 197 cv e 300 Nm de torque, anunciando 0-50 km/h em 3,8 segundos, nada divulgando em relação aos 0-100 km/h ou à velocidade máxima.

Em relação às baterias, Xia afirma oferecer dois packs distintos, mas estranhamente com capacidade muito similar, uma vez que asseguram uma autonomia de, respectivamente, 351 km e 365 km. E segundo o método NEDC, o que se deverá traduzir por qualquer coisa entre 260 km e 280 km em WLTP. A Xiaopeng Motors reivindica ainda, para estas mesmas baterias, autonomias de 520 e 550 km a velocidade constante, valor sem qualquer peso, uma vez que não está normalizado, nem tão pouco anuncia a que velocidade se refere.

O Xpeng G3 usufrui ainda de uma série de sensores destinados a facilitar a vida ao condutor, proporcionando um certo nível de automatismo na condução. Aqui a Xiaopeng Motors pode ter uma palavra a dizer, tanto mais que tem agora na sua equipa Junli Gu, que até há pouco tempo liderava a equipa que desenvolvia o Autopilot da Tesla.

Henry Xia, que montou a sua empresa com recurso a fundos proporcionados pela Alibaba e Foxconn, primeiro de 348 milhões de dólares e já este ano de mais 2,7 mil milhões, comercializa o G3 por 33.000 dólares, um pouco menos de 30.000€, o que poderá baixar para cerca de 18.000€ com os incentivos em algumas cidades chinesas.