Rádio Observador

Beleza e Bem Estar

Comece o ano a sentir-se bem no seu corpo

Rugas, celulite, excesso de peso. Inicie o novo ano a sentir-se bem com o seu corpo. Do estilo de vida aos tratamentos, saiba quais as melhores estratégias para acabar com eles.

Zelar pelo seu bem-estar é também cuidar do seu corpo. Se sente que não o faz (ou, pelo menos, tanto quanto gostaria), ainda está a tempo de fazer desta uma resolução para 2019. Se o que a incomoda são problemas como o excesso de peso, a celulite e as rugas, existem no mercado tratamentos de estética que podem ajudar a preveni-los e até a combatê-los. Contudo, na base de qualquer plano deve estar um estilo de vida saudável, como os hábitos que dizem respeito à alimentação e à atividade física. Só assim a receita para o sucesso estará completa. Mónica Carvalho, Gestora de Produto e Qualidade de Serviço BodyConcept, explica-lhe tudo o que tem de saber.

Rugas

Aos 30 anos, é quando geralmente começam a surgir as primeiras rugas, o que se deve, segundo Mónica Carvalho, “ao processo de envelhecimento do organismo, nomeadamente no que toca à regeneração das células de elastina e de colagénio, que são responsáveis pela firmeza e sustentação da pele”. As rugas dividem-se em quatro géneros: “As finas, que revelam os primeiros sinais do envelhecimento; as de expressão, mais comuns nos lábios e olhos, resultantes de uma constante repetição de movimentos, e que acabam por dar lugar às profundas, mais vincadas; e as gravitacionais, que surgem numa idade mais avançada (nos olhos, pescoço e maxilares), quando a gravidade puxa a pele mais fina para baixo”, explica. “Uma alimentação desequilibrada, fumar, falta de proteção solar e de cuidados de limpeza e hidratação, e a exposição à poluição” são fatores que intensificam o aparecimento de rugas e a flacidez.

Rituais para uma pele mais jovem
Seguir uma dieta equilibrada, pobre em gorduras e alimentos processados, ajuda a retardar o aparecimento de rugas, assim como adotar uma rotina diária de cuidado da pele desde jovem. De acordo com Mónica Carvalho, este ritual deve incluir três passos-base: “Limpar a pele de manhã e à noite com um leite ou loção de limpeza, utilizar um tónico para equilibrar o seu pH e repor nutrientes e hidratar a pele, preferindo um creme com proteção solar, para que esta mantenha a sua elasticidade, optando sempre por produtos adequados ao tipo de pele. Por volta dos 27-28 anos, deve introduzir na sua rotina um creme antirrugas”. Para combater o envelhecimento, seja sob a forma de rugas, flacidez ou manchas, poderá optar por um creme com “vitamina A, que potencia a regeneração celular”.

Tratamentos: as melhores opções
Os cuidados diários podem ser complementados com tratamentos de estética, de modo a prevenir o aparecimento ou agravamento de rugas e a flacidez. “A limpeza de pele é sempre o ponto de partida e poderá ser feita de 3 em 3 meses, dependendo do tipo de pele”, salienta Mónica Carvalho, referindo que na “BodyConcept, são criados planos personalizados, sendo o plano de hidratação profunda um dos mais recomendados, combinando uma limpeza de pele com Microdermoabrasão e Skinlift. Para a flacidez do Rosto e Corpo  Radiofrequência é o tratamento de eleição. Dependendo do tipo de tratamento e de pele, idade, profundidade, tipo de rugas e flacidez, os resultados são visíveis em pouco mais de cinco sessões e passam por uma pele com um aspeto mais jovem, menos flacidez cutânea, rugas menos profundas e um tom de pele mais homogéneo, sem manchas”.

Celulite

Vulgarmente conhecida por pele “casca de laranja”, a celulite “trata-se de uma alteração do tecido conjuntivo (situado logo abaixo da pele), causada pela acumulação de gordura, água e algumas toxinas nas células, levando-as a inchar e a endurecer”, explica Mónica Carvalho. É assim que surgem os tão inestéticos furinhos na pele, sendo “as coxas, parte interna dos joelhos, abdómen e glúteos as zonas mais afetadas”. Contudo, o seu impacto pode ir além da estética: “A celulite pode resultar numa má circulação, que acaba por favorecer o aparecimento de varizes e derrames, e a retenção de líquidos. Isto acontece porque o aumento das células de gordura estrangula as veias e dificulta a passagem do sangue e da linfa”, esclarece a especialista.

As mulheres são o alvo preferido
É sobretudo um problema feminino – 95 por cento das mulheres tem celulite – e a culpa é da sua composição corporal: “Se, por um lado, nas mulheres os septos fibrosos [elementos que ligam a pele aos músculos] são finos e verticais, nos homens, são grossos e mais resistentes e estão dispostos de forma oblíqua à pele; assim, quando ganham peso a gordura, acumula-se no fundo, enquanto nas mulheres é projetada para fora”, pois enquanto os tais septos puxam a pele para baixo, a gordura que se instala entre eles empurra-a para cima, dando o tal efeito de pele irregular tão característico da celulite. Além disso, o “tecido adiposo em pessoas com peso normal pode representar na mulher entre 20 a 25 por cento do peso corporal, e 15 a 20 por cento no homem”, explica.

Hábitos que favorecem a celulite
Existem alguns hábitos de vida que podem contribuir para o aparecimento da celulite e até para o seu agravamento, “tais como uma alimentação rica em gordura, hidratos de carbono e açúcar, uma má hidratação (o corpo precisa de água para eliminar as toxinas) e o sedentarismo”, alerta Mónica Carvalho, acrescentando que, “por outro lado, a atividade física ajuda não só na gestão do peso, como favorece a oxigenação e o aumento da circulação sanguínea e linfática. As mulheres devem ainda evitar o uso de saltos altos e de roupa muito justa que dificultam a circulação. O hábito de fumar também piora o aspeto da celulite, pois aumenta a espessura dos vasos sanguíneos e dificulta a circulação”.

As 4 fases da celulite

Devido às alterações hormonais que favorecem a acumulação de gordura, a primeira fase da celulite surge em idades mais jovens e pode agravar-se gradualmente até à última.

  1. Alterações das células adiposas, mas sem modificações ou ondulações visíveis na pele.
  2. As irregularidades tornam-se visíveis e há um aumento da retenção de líquidos e derrames.
  3. O aspeto ‘casca de laranja’ é muito evidente, a circulação está comprometida e há sensação de pernas cansadas e inchadas.
  4. É a fase mais grave, com presença de nódulos, varizes e edema (pernas inchadas) e a sensação de cansaço e dor.

Princípios ativos mais eficazes da cosmética
A utilização de produtos anticelulíticos é muito importante no combate da celulite e “alguns dos princípios ativos mais eficazes são a cafeína – é termogénica, aumentando a ‘queima’ de gordura acumulada –, a Centelha Asiática e a Castanha da Índia – melhoram a circulação e melhoram a estrutura do tecido, reduzindo o seu endurecimento –, e a alga Fucus – com efeito tonificante e suavizante dos tecidos”, afirma Mónica Carvalho. A melhor altura para aplicar o creme anticelulítico é “após o banho, quando os poros estão mais dilatados devido à água quente, tornando mais eficaz a penetração do cosmético. Se possível, aplique-o através de uma massagem com movimentos ascendentes e circulares para favorecer a circulação. Estes cuidados devem ser igualmente tidos por pessoas que queiram combater o excesso de peso”, acrescenta.

Tratamentos: as melhores opções
Existem vários tratamentos no combate à celulite, entre os quais “a Endomassagem (atua diretamente na celulite compacta e endematosa, modelado e refirmando a zona), a Drenagem Linfática Manual (combate a retenção de líquidos, celulite e gordura localizada) e a Massagem Anticelulítica (reduz o volume e o efeito ‘casca de laranja’ e torna a pele mais firme). Quando combinados com uma alimentação saudável, a prática de exercício físico e a cosmética, os primeiros resultados poderão ser visíveis ao fim de um mês, dependendo, por exemplo, da fase da celulite”, informa Mónica Carvalho, especialista da BodyConcept.

Excesso de peso

Mais do que uma questão de estética, ter um peso equilibrado é fundamental para a saúde. Segundo Mónica Carvalho, “quando uma pessoa tem excesso de peso – um índice de massa corporal acima de 24,9, que é calculado dividindo o peso pela altura ao quadrado –, há um risco aumentado de ter algumas doenças, como enfarte do miocárdio, acidente vascular cerebral (AVC), diabetes, apneia do sono, tensão arterial e colesterol elevados, fadiga e má circulação”.

O primeiro passo para alcançar o peso ideal
As pessoas sedentárias, com uma alimentação rica em gorduras, alimentos processados e hidratos de carbono em excesso e que têm uma ingestão diária excessiva de bebidas alcoólicas têm uma maior predisposição para ter excesso de peso. Deste modo, “é essencial adotar uma alimentação equilibrada e ser ativo, através da prática de exercício físico, como nadar, caminhar e andar de bicicleta”, salienta a especialista, referindo que, “quando se trata de perder peso, o mais importante é a pessoa querê-lo realmente; a força de vontade é muito importante. Em segundo lugar, deve procurar especialistas na área da nutrição e da estética e fitness para que este processo seja personalizado e adequado às suas particularidades”.

Tratamentos: as melhores opções
“Nas clínicas BodyConcept, antes de se iniciar um tratamento, são feitas uma avaliação e uma consulta de nutrição, com direito a um plano alimentar personalizado. Alguns dos melhores tratamentos disponibilizados são a LipoStop (para mulheres que pretendem perder mais de sete quilos, permitindo perder entre 1,5 a dois quilos e 3 a 6 centímetros de volume por sessão), a Lipo-Escultura (técnica não invasiva alternativa à lipoaspiração) e a Termolipólise e Pressoterapia, que integram o Ginásio da Estética da BodyConcept, que visa a eliminação da celulite, flacidez, gordura localizada e excesso de peso. Em média, pode-se perder 4 a 6 quilos logo no primeiro mês. No entanto, depende de cada caso e do metabolismo da pessoa”, explica Mónica Carvalho.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Conteúdo produzido pelo Observador Lab. Para saber mais, clique aqui.
Partilhe
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: obslab@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)