O disco Chapels, do português Old Jerusalem, está nomeado para o prémio de melhor álbum europeu do ano, atribuído pela Associação de Empresas de Música Independente (IMPALA, na sigla em inglês), foi hoje anunciado.

A lista dos 18 álbuns nomeados para a 9.ª edição do prémio, divulgada esta quinta-feira no site oficial da IMPALA, inclui “uma ampla gama de géneros e artistas, de uma banda estoniana de dream-pop psicadélico ao surf rock croata, e de um projeto colaborativo português a um artista italiano que conseguiu atingir, ao mesmo tempo, o número 1 nos ‘tops’ europeus e norte-americanos”.

A lista de nomeados inclui, entre outros, Oil Of Every Pearl’s Un-insides, de Sophie, Si, de Andrea Bocelli, Look Ahead and See The Distance, dos Racoon, Look ate the moon, dos Stray Dogg, e Echo Chamber, dos The Strange.

Esta não é a primeira vez que um disco português está nomeado ao prémio de melhor álbum europeu do ano da IMPALA. No ano passado, esteve nomeado Antwerpen, de Surma, e no ano anterior Drifter, dos First Breath After Coma.

Chapels, o sétimo álbum de Old Jerusalem, foi editado em outubro do ano passado. O disco foi apresentado, na altura em que foi editado, como uma “coleção de canções imediatas e sem adornos” e o que se ouve é “praticamente a primeira fixação gravada em cada um dos dez temas”.

Old Jerusalem é Francisco Silva, músico do Porto que há mais de uma década edita com regularidade discos de indie folk, entre os quais Twice the humbling sun (2005) e The temple bell (2007). A estreia deu-se em 2003 quando Francisco Silva lançou “April”.

No ano passado, a IMPALA distinguiu “In my head”, da dupla alemã GURR, com o prémio de álbum europeu do ano.

O vencedor deste ano será anunciado no final do mês.