Milionária, apaixonada pelo golfe, esqui e ténis, Barbara Barbie Ruth Segal já dizia estar “farta de ser a Barbie” em 1989, numa entrevista ao Los Angeles Times. Os pais, Elliot e Ruth Handler, deram o nome à boneca em honra da filha, e tornaram-na loira pela mesma razão. Mas, terminam aí as semelhanças: “Se a boneca é como eu é pura coincidência”, diz ao New York Times.

A inspiração da Barbie, lançada há 60 anos pela Mattel, vive numa das zonas mais ricas de Los Angeles, Brentwood, e acrescentou aos milhões herdados uma carreira como empreendedora. Casada aos 18 anos e divorciada aos 29, lançou aos 30 uma loja de roupa para camas. Aos 77 anos, mantém uma vida pública reservada, com poucos grandes investimentos.

Tanto se distanciou da marca dos pais, que Barbara Segal admitiu ao El Mundo que não está “muito familiarizada nem sabe como brincar com uma Barbie”. Tinha 17 anos quando foi criada a Barbie (1959) pelo que o sucesso da boneca coincidiu já com a vida adulta da herdeira.

Barbara não foi a única a afastar-se da Barbie. O irmão mais novo, Kenneth Segal, que fez fortuna própria com investimentos imobiliários, nunca se identificou com o namorado da boneca, Ken, a que deu nome: “Eu era um nerd. As raparigas achavam  todas que eu era um idiota. O Ken era o ideal americano — um surfer, sempre na praia, em Malibu“. Morreria ainda antes da mãe, Ruth Handler, com um tumor cerebral, em 1994.

Antes, ambos os filhos diziam admirar o trabalho dos pais. Ruth Handler é considerada pela filha “uma pioneira, que ajudou as mulheres a terem êxito e encontrarem força”. Falecida em 2002, depois de décadas a presidir à empresa que fundou com o marido, Ruth Handler seria “uma pessoa forte, dedicada a ajudar os outros, e com a convicção necessária para avançar com uma ideia que a maior parte dos homens esperava que falhasse”.

Foi o marido, Elliot Handler, que fundou a empresa em 1945, com um parceiro de negócios, Harold Matson. O sucesso surgiu apenas quando Ruth Handler comprou a posição de Matson na empresa. A Mattel é a mais valiosa produtora de brinquedos de sempre (e a 403ª maior empresa do mundo, segundo dados da Forbes de 2014).

Aos dois bonecos que criou originalmente, Ruth Handler  incluiu casas, carros, amigos e a família da Barbie, expandindo o portefólio da Mattel. A própria boneca continuou ao longo dos anos a ser replicada em versões cada vez mais diversas e inclusivas. Em 2019 já há Barbies com corpos naturais (para combater a imagem excessivamente magra da boneca original), a fingir profissões variadas, inspiradas em atletas olímpicas e até a usar uma hijab.