O Sindicato dos Oficiais de Justiça (SOJ) acusou esta sexta-feira o Governo de responder à boa-fé dos trabalhadores com uma “farsa negocial”, dizendo que quer abrir um processo negocial que afinal afirma estar encerrado.

Em comunicado, depois de uma reunião na tarde desta sexta-feira no Ministério da Justiça, o SOJ explica que foi convocado para o encontro e que na convocatória constava a abertura de um processo negocial de recomposição da carreira dos Oficiais de Justiça, na contagem do congelamento do tempo de serviço.

De acordo com o comunicado, no entanto, o Governo deixou claro “que não estava ali para negociar” mas sim “para desenvolver toda uma farsa negocial, tendo como objetivo enganar os trabalhadores” e acabando por assumir que não vai alterar o projeto de diploma.

No comunicado o SOJ lembra que na quinta-feira acabou uma greve que devia durar até outubro, devido ao processo negocial a que agora chama “farsa negocial”. Na quarta-feira, o Sindicato dos Oficiais de Justiça tinha anunciado que apresentou uma queixa na Organização Internacional do Trabalho contra o Governo português por os funcionários trabalharem fora do horário normal sem auferirem remuneração e sem valorização.

A abertura do processo negocial era um dos motivos da greve ao trabalho não remunerado convocada pelo SOJ, que começara a 05 de janeiro, com termo a 04 de outubro.