Rádio Observador

Sporting

Bruno de Carvalho pede AG Extraordinária da SAD do Sporting – pela fuga da auditoria e não só

456

Entre clube e SAD são já pelo menos quatro os pedidos para a realização de uma AG Extraordinária do Sporting. O último teve ex-presidente Bruno de Carvalho como subscritor. E não fala só da auditoria.

ANDRÉ DIAS NOBRE / OBSERVADOR

A divulgação pública das 137 páginas da auditoria feita pela Baker Tilly ao clube, com todos os salários de todos os atletas das modalidades que não o futebol e funcionários, acabou por funcionar como gatilho para uma série de pedidos de Assembleia Geral Extaordinária do Sporting e da Sporting SAD. Ao todo, são pelo menos quatro, em cartas endereçadas a Rogério Alves e Bernardo Ayala. E a última das quais tem como subscritor o antigo presidente leonino, Bruno de Carvalho. Motivo apresentado? A fuga da auditoria, como os pedidos anteriores, e mais uma série de negócios e processos envolvendo a sociedade verde e branca.

Esta manhã, um conjunto de associados entre os quais João Trindade, antigo presidente do extinto Conselho Leonino; José Carlos Estorninho, ex-líder do Grupo Stromp; Subtil de Sousa, antigo dirigente no final da década de 80; e Fernando Carvalho, ex-membro do Conselho Fiscal e Disciplinar, enviou uma carta a Rogério Alves, atual número 1 da Assembleia Geral do clube, para, no contexto de um clube “mais fragmentado do que há dez meses”, convocar uma reunião magna e poder colocar em cima da mesa a possibilidade de amnistia de Bruno de Carvalho, expulso de sócio por decisão do Conselho Fiscal e Disciplinar.

“Não podemos continuar a considerar que liderar é suspender e expulsar sócios ou divulgar, via comunicação social e internet, a todos – incluindo aos nossos adversários – informações altamente confidenciais e sigilosas, cujo conhecimento por todos das mesmas nos coloca numa situação de pressão e fragilidade sem precedentes. Dos últimos três presidentes eleitos pelos sócios, um foi expulso, outro está suspenso e tem contra si um processo de expulsão e o terceiro está agora acossado por todos os lados. (… Todos os sportinguistas deveriam ser trazidos novamente para o seio do clube, para os camarotes e para as bancadas de Alvalade e do nosso Pavilhão, sem embargo de poderem continuar a defender as suas ideias em termos daquilo que considerem que deve ser a gestão do Sporting”, sublinhou a missiva assinada por apoiantes do antigo líder do Sporting. Agora, é o próprio Bruno de Carvalho a pedir uma AG Extraordinária mas da SAD, colocando várias questões em causa.

Logo a começar, e ainda a propósito da divulgação da auditoria feita pela Baker Tilly a SAD e clube, os quatro acionistas que assinam o pedido (além de Bruno de Carvalho, Alexandre Godinho, antigo vogal da Direção que também foi expulso; João Trindade e Fernando Carvalho) perguntam a razão pela qual não existem referências ao gabinete médico do futebol verde e branco e também o porquê de não se ter alargado esse trabalho a julho, agosto e início de setembro de 2018, quando a Comissão de Gestão liderada por Artur Torres Pereira (clube) e Sousa Cintra (SAD) esteve à frente dos destinos dos leões. Além disso, fala ainda da exposição dos ordenados de todos os atletas – que não existia em auditorias anteriores.

Num outro contexto, Bruno de Carvalho e os restantes signatários levantam questões sobre outros temas relacionados com a SAD verde e branca, nomeadamente o estado da reestruturação financeira (que tinha sido negociada pelo anterior elenco), o recente acordo com o fundo Apollo e as garantias para a manutenção da maioria da sociedade; o acordo assinado com o Wolverhampton por dois milhões de euros para entrada no mercado asiático; a rescisão com o treinador Sinisa Mihajlovic; e as condições pelas quais Battaglia, Bruno Fernandes e Bas Dost voltaram atrás e permaneceram em Alvalade.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: broseiro@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)