Rádio Observador

Literatura

Público aprova exposições e atividades para crianças da maior festa literária do Brasil

Festa Internacional Literária de Paraty tem exposição itinerante do Museu da Língua Portuguesa, mostra sobre Museu da Independência e infantil com ampla adesão. EDP é uma das grandes patrocinadoras.

A 17.ª edição da Flip vai até 14 de julho, e tem o autor Euclides da Cunha como homenageado.

SEBASTIAO MOREIRA/EPA

Autor
  • Agência Lusa
Mais sobre

Uma exposição itinerante do Museu da Língua Portuguesa, uma mostra sobre a recuperação do Museu da Independência e a programação infantil são opções que estão a ser aprovadas pelo público que acompanha a Festa Internacional Literária de Paraty (Flip).

Cíntia Barreto, de 46 anos, contou à Lusa que está na cidade de Paraty, no litoral do Rio de Janeiro, para acompanhar a Flip juntamente com um grupo de 14 pessoas.

“Estou gostando muito das exposições que acontecem aqui, começámos agora as visitas. Tem uma [exposição] sobre ‘Canudos’, esta da Língua Portuguesa e a ‘Flipinha’ [voltada para o público infantil], que está linda”, disse.

“Todas estas parcerias, com as casas, a Casa Libre, Casa da Leitura, enfim, a Flip é a Flip porque é agregadora, agrega vários eventos dentro de um só”, acrescentou.

Nívea Oura, de 36 anos, avaliou que o evento é rico porque aposta na diversidade.

“Além de oferecer as mesas de debate tem estas exposições que deixam nosso passeio mais rico. As que eu vi gostei bastante e pretendo conhecer outras ainda”, explicou.

Ana Paula Lourenço de Paula, 43 anos, considerou o evento muito interessante porque ele tem atividades para todos os gostos.

“[A Flip] é muito interessante porque você tem atividades para todos os gostos. Se você quer se aprofundar na obra do homenageado do ano, o [autor] Euclides da Cunha, você tem atividades específicas”, disse.

Lourenço também mencionou a programação voltada para o público infantil que é importante para os visitantes que estão na cidade com a família.

“Minha filha mais velha está ouvindo relatos de histórias e a minha mais nova esta aqui comigo, porque preferiu estar ao ar livre”, acrescentou.

O Museu Itinerante da Língua Portuguesa conta com o apoio da EDP Brasil, empresa que patrocina a Flip há três anos, que também investirá 12 milhões de reais (2,8 milhões de euros), na reforma do Museu da Independência.

O presidente da empresa, Miguel Setas, explicou à Lusa o interesse na Flip.

“Como nós sabemos, é uma das principais festas literárias do Brasil e, portanto, desde o momento que assumimos [o papel de] principal de patrocinador do Museu da Língua Portuguesa entendemos que era necessário também encontrar um conjunto de iniciativas que pudesse dar uma diversidade e um acesso mais abrangente da língua portuguesa”, frisou.

“Quando o museu [da Língua Portuguesa que foi destruído num incêndio em 2015] começou a sua reconstrução iniciámos a nossa presença aqui na Flip. Isto ocorreu há três anos”, acrescentou.

Nesta que é a 17.ª edição da festa, a EDP investiu um milhão de reais (237 mil euros), fora a parte de patrocínio que firmou com os organizadores do evento.

A Flip decorre até domingo, 14 de julho, em Paraty, no estado do Rio de Janeiro, no centro de uma região declarada há uma semana Património Cultural e Natural da Humanidade, pela Organização das Nações Unidas, para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO).

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros de órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)