Um “códice factício” constituído por 165 documentos manuscritos entre 1623 e 1806 e que estavam na posse de particulares foi apreendido pela Polícia Judiciária, anunciou esta sexta-feira aquela força policial em comunicado.

Os documentos, “de grande relevância e valor inestimável em termos históricos”, continham cartas originais enviadas em nome do “Rei”, do “Príncipe”, do “Infante” e da “duquesa de Mântua” a figuras ilustres de Beja.

A apreensão por parte Polícia Judiciária surge depois de a Câmara Municipal de Beja ter levantado dúvidas “relativamente ao seu eventual descaminho do espólio do Estado”, informa o comunicado.

O códice factício vai agora ser alvo de perícia no Laboratório de Polícia Científica para determinar a sua autenticidade.