O encenador português Tiago Rodrigues vai adaptar dois romances de José Saramago, Ensaio sobre a Cegueira e Ensaio sobre a Lucidez, para teatro, criando uma peça que estreará em agosto do próximo ano em Inglaterra — e que está a ser produzida em colaboração com a companhia inglesa Royal Shakespeare Company.

A peça encenada por Tiago Rodrigues, que tem também um consolidado percurso de ator e que é também atualmente o diretor artístico do Teatro Nacional D. Maria II, terá como título “Blindness and Seeing”, inspira-se nos dois romances já referidos do único vencedor português do Prémio Nobel da Literatura e poderá ser vista entre 1 de agosto e 26 de setembro no Teatro Swan, em Stratford-upon-Avon, sede da companhia teatral britânica.

A nova criação do encenador e dramaturgo português inspirada em Saramago contará no elenco com atores da prestigiada companhia inglesa de teatro Royal Shakespeare Company (RSC), que convidou Tiago Rodrigues para encenar uma peça de teatro com a companhia. O desafio surgiu no âmbito de um projeto da RSC intitulado Projekt Europa, “que congrega uma seleção única e eclética de espetáculos” novos criados por artistas europeus que são depois exibidos “nos espaços Swan Theatre e The Other Place, durante o ano de 2020”, indica um comunicado enviado à imprensa pelo departamento de comunicação do Teatro Nacional D. Maria II.

Além da peça de Tiago Rodrigues, o programa da iniciativa Projekt Europa, da Royal Shakespeare Company, inclui criações de Maria Åberg (Europeana) e Barbara Frey (Peer Gynt), “sete monólogos redigidos por escritores europeus em ascensão”, uma peça que resulta de uma parceria entre uma companhia jovem de estudantes, RSC Next Generation ACT, e o encenador sueco Mattias Andersson “e um conjunto de eventos e debates à volta do tema Europa”.

Com um longo percurso como encenador, Tiago Rodrigues, que foi também ator, é responsável pela direção artística do Teatro Nacional Dona Maria II desde 2015. Em 2018 foi galardoado com o XV Prémio Europa Realidades Teatrais e foi posteriormente felicitado pela ministra da Cultura, Graça Fonseca, que lembrou que com a reputada distinção o português juntou-se “a uma lista que inclui nomes fundamentais para a renovação do teatro europeu”, que inclui ainda “os encenadores Romeo Castelluci, Thomas Ostermeier, Katie Mitchell, Christophe Marthaler, Rodrigo Garcia ou as coreógrafas Anne Teresa de Kekersmaeker e Sasha Waltz”.