Estão escolhidos os primeiros quatro finalistas do Festival da Canção de 2020. Bárbara Tinoco, Elisa, Filipe Sambado e Throes + The Shine vão atuar na grande final, no dia 7 de março, no Coliseu de Elvas. A segunda semifinal acontece no próximo sábado, 29 de fevereiro, em Lisboa.

Pelo caminho ficaram MEERA, Ian Mucznik, Blasted Mechanism (com o único tema em inglês, “Rebellion”) e JJaZZ.

Os nomes dos finalistas, apurados durante a primeira semifinal, que decorreu este sábado nos estúdios da RTP, em Lisboa, foram anunciados de forma aleatória e não por ordem crescente. As pontuações (que resultam da soma dos votos do júri e do público) só serão reveladas depois da final, no site do Festival da Canção, à semelhança do que acontece na Eurovisão. Esta é a primeira vez que tal acontece – até este ano, as pontuações individuais eram reveladas no final de cada semifinal.

O júri que este ano avalia as semifinais do Festival da Canção é composto por Anabela, Capicua, Conan Osiris (vencedor da edição de 2019 com “Telemóveis”), Héber Marques, Isilda Sanches, Miguel Ângelo e Rui Miguel Abreu.

Fique a conhecer os finalistas e as canções a concurso:

Bárbara Tinoco

“Passe-Partout”

Bárbara Tinoco é uma jovem cantora e compositora lisboeta que deu que falar pela sua participação na fase de casting do The Voice Portugal. Apesar de não ter conseguido ser apurada, a canção que apresentou no programa da RTP acabou por se tornar no seu primeiro single. “Antes Dela Dizer Sim” foi gravado no RF Estúdio e no Estúdio Zeco por Ricardo Ferreira, João Só e Nuno Simões. O tema que apresentou este sábado nos estúdios da RTP, “Passe-Partout”, foi composto por Tiago Nacarato.

Elisa

“Medo de Sentir”

Elisa Silva é outra jovem cantora de 20 anos. Natural da Madeira, começou a cantar “aos 7 anos, em festivais da escola” e a partir dos 13 começou “a levar a música mais a sério”, como contou ao Observador. O interesse pelo jazz levou-a a frequentar o curso do conservatório madeirense. Deu continuidade aos estudos musicais em Lisboa, na Escola Superior de Música, onde entrou em 2018. A artista está atualmente a preparar o primeiro álbum de originais, em colaboração com outros artistas nacionais. A canção que interpretou na primeira semifinal do Festival da Canção, “Medo de Sentir”, foi composta por Marta Carvalho, cantora e compositora originária do Porto.

Filipe Sambado

“Gerbera Amarela do Sul”

Parece impossível, mas Filipe Sambado conta quase com dez anos de carreira. O músico deu os primeiros passos no mundo da música em 2012, quando lançou o EP Isto Não É Coisa Pra Voltar a Acontecer. Felizmente, e ao contrário do que o título anunciava, Sambado voltou a acontecer, lançando o primeiro álbum, Ups… Fiz Isto Outra Vez, quatro anos depois. O disco de 2018, Filipe Sambado & Os Acompanhantes de Luxo, foi muito elogiado por quem lhe prestou atenção e acompanhou o nascer de uma identidade artística através da série de videoclips que lançou para o acompanhar.

A canção que levou ao Festival da Canção, “Gerbera Amarela do Sul”, composta por si, tem qualquer coisa de canção de intervenção de outros tempos e outros festivais, que contrasta fortemente com a imagem arrojada de Sambado em cima do palco. O cantor e compositor lançou em janeiro um novo álbum.

Throes + The Shine

“Movimento”

Os Throes + The Shines são um trio da cidade do Porto que mistura kuduro, eletrónica e rock. Surgidos em 2011, lançaram o primeiro álbum de originais, Rockduro, em 2012. Contam atualmente com quatro discos e uma história marcada com algumas mudanças na formação. O último, Enza, contou com a participação de artistas como Cachupa Psicadélica, Mike El Nite, Selma Uamusse e Sotomayor.