O cônsul-geral do Brasil em Lisboa, José Roberto de Almeida Pinto, foi esta segunda-feira destituído do cargo pelo ministro das Relações Exteriores brasileiro, que determinou o seu regresso ao país sul-americano, para trabalhar no Rio de Janeiro.

“O ministro das Relações Exteriores (…) resolve remover José Roberto de Almeida Pinto, ministro de primeira classe do quadro especial da carreira de Diplomata do Ministério das Relações Exteriores, do consulado-geral do Brasil em Lisboa para a Secretaria de Estado, com exercício no Escritório de Representação no Estado do Rio de Janeiro”, indicou o chefe da diplomacia brasileira, Ernesto Araújo, em Diário Oficial da União.

A decisão ocorre após o fim da operação de repatriamento de brasileiros que estavam retidos em Portugal devido à pandemia da Covid-19 e cujo último voo ocorreu em 22 de maio, segundo a imprensa local.

“Partiu [em 22 de maio] de Lisboa um avião fretado pelo Itamaraty [nome como é conhecido o Ministério das Relações Exteriores do Brasil] com 308 repatriados. Este é o sétimo voo de repatriação de nacionais retidos em Portugal”, indicou na ocasião a tutela, na rede social Twitter.

José Roberto de Almeida Pinto ingressou na carreira diplomática em 1977 e estava no cargo em Lisboa desde 2018, indicado ainda pelo então Presidente brasileiro, Michel Temer, e pelo ministro das Relações Exteriores à data, Aloysio Nunes.

No âmbito da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, José Roberto de Almeida Pinto foi chefe de delegação do Brasil em duas conferências internacionais sobre o “Futuro da Língua Portuguesa no Sistema Mundial”: na primeira, que copresidiu, realizada em Brasília em 2010, e na segunda, em Lisboa, em 2013.

Ainda não foi anunciado o seu substituto como cônsul-geral do Brasil em Lisboa.