A menos de 24 horas de “Hi, Speed” evento em que se espera que a Apple apresente o novo iPhone, continuam a surgir hipóteses, rumores e leaks sobre o que esperar do mais recente smartphone da marca.

A informação conhecida em setembro neste artigo do Observador dava conta de alguns aspetos como o novo design, inspirado nos modelos 4 e 5 do iPhone, três câmaras traseiras, a compatibilidade com a tecnologia 5G ou a necessidade de compra de um carregador – não incluído na caixa deste novo iPhone como forma de redução do lixo eletrónico –, tudo isto pensado para uma apresentação online.

Todos estes pontos parecem confirmar-se, numa altura em que as atenções se viram não só para o smartphone da empresa californiana como também para os acessórios, computadores e outros equipamentos que podem vir a ser revelados por Tim Cook nesta terça feira, no Apple Park.

5G e um novo design. O que se espera dos novos iPhone 12

Quatro modelos e um iPhone em azul marinho? Parece que sim

Um dos mais recentes rumores, avançado por publicações como o MacWorld, 9To5Mac ou o Cnet dá conta de uma opção azul marinho para a nova geração do iPhone 12 (iPhone 12 Pro), possível sucessora do modelo de cor verde que foi lançada com o iPhone 11. A opção pode justificar-se por ser este o pantone do ano de 2020. No que diz respeito ao modelo base do iPhone 12, a informação parece mais vaga — foram opções como o azul claro, o violeta e o laranja, o que, a confirmar-se, vai ao encontro das cores do convite lançado pela Apple, para este evento. Há ainda a possibilidade de vermos um iPhone preto, branco, vermelho, azul ou verde, segundo Kang, um dos leakers de referência do site chinês Weibo.

Em termos de modelos disponíveis, a informação parece ser unânime: devem chegar às prateleiras quatro versões do equipamento, todas com ecrã de tecnologia OLED. Serão eles:

  • O iPhone 12 mini (disponível em preto, branco, vermelho, azul e verde) com 64 GB, 128 GB e 256 GB de memória, câmara dupla, grande angular + ultra grande angular, 1.6;
  • o iPhone 12 de 6,1 polegadas (disponível em preto, branco, vermelho, azul e verde) com versões de 64 GB, 128 GB e 256 GB de memória, câmara dupla, grande angular + ultra grande angular, 1.6. A estas junta-se ainda a gravação de vídeo Dolby Vision.
  • O iPhone 12 Pro (disponível em dourado, prateado, grafite e azul), lente grande angular, ultra grande angular, telefoto + Deteção de luz com recurso a laser (LiDAR), grande angular da nova lente 7P, 1,6, telefoto de distância focal de 52 mm, zoom óptico 4x e gravação de vídeo Dolby Vision, com a memória a começar nos 128 GB, 256 GB e 512 GB;
  • O iPhone 12 Pro Max (disponível em dourado, prateado, grafite e azul), lente grande angular, ultra grande angular, telefoto + LiDAR, grande angular da nova lente 7P, 1,6, telefoto de distância focal de 65 mm, zoom óptico 5x, recursos ultra-grande angular “expandidos” e gravação de vídeo Dolby Vision. As especificações de armazenamento são semelhantes às do modelo anterior e vão dos 128 GB e 256 GB aos 512 GB.

Para o modelo iPhone 12 Mini, de acordo com uma informação de 24 de setembro, o ecrã deve ficar nas 5,4 polegadas (para referência, dos modelos atuais, o iPhone SE tem a menor tela – 4,7 polegadas). E o iPhone 12 Pro Max pode chegar a 6,7 polegadas (o iPhone 11 Pro Max, por exemplo, tem uma tela de 6,5 polegadas). Tudo com preços que vão dos 699 aos 1099 dólares, segundo avança o The Verge.

Sendo que os iPhone mais recentes possuem o processador A13 Bionic, é bastante provável que o próximo chipset seja apelidado de A14 Bionic, mantendo a tendência para que haja um aumento de rapidez e eficiência face ao antecessor.

Na verdade, a Apple já lançou o novo chip no iPad Air, com uma CPU de seis núcleos que é 40% mais rápida do que o A12 Bionic. Além disso, uma GPU de 4 núcleos oferece velocidades gráficas 30% mais rápidas que a A12. E o mecanismo core de 16 núcleos de próxima geração pode processar 11 triliões de operações por segundo, diz a Apple, resultando num aumento de desempenho de até duas vezes superior da máquina.

Mais novidades além dos iPhone? Também parece que sim

O iPhone 12 é um dos pontos principais da “Hi, Speed” desta terça feira mas não será o único, segundo avançam publicações como o 9to5Mac ou o Cnet. Os AirPods Studio, headphones de ouvido da Apple, há muito que são comentados e podem finalmente chegar ao mercado. O rumor acentuou-se quando a tecnológica removeu auriculares de ouvido e alto-falantes sem fio de empresas rivais das suas lojas online e físicas, o que muitas pessoas viram como evidência de um anúncio eminente. Os AirPods Studio podem incluir tecnologia de cancelamento de ruído e um sensor para detetar se estão na cabeça em descanso à volta do pescoço.

Sobre a Apple TV, toda a atenção parece focada no Apple TV Plus, que agora estará disponível no pacote de assinatura Apple One. Mas isso não significa esquecer a caixa de hardware da Apple TV. O atual descodificador existe desde 2017 o que, em termos tecnológicos, já é algum tempo. Com os efeitos do confinamento ainda em curso, é provável que a empresa faça avançar uma renovação nesta área.

Nos computadores, os Silicon Mac, os primeiros Mac com chips não alicerçados em Intel Arm, já haviam sido prometidos no mercado até o final de 2020. Isto significa que podem estar finalmente para chegar. Nessa linha, também o Apple HomePod pode estar à beira de ser renovado com uma versão menor e mais barata, o Apple Home Pod Mini.

A juntar a estes está na calha a apresentação de dois novos carregadores sem fios que devem chegar às lojas na mesma altura do iPhone 12, depois do fracasso do projeto piloto, em 2019, para o AirPower, carregador que não chegou ao mercado por preocupações de segurança. De acordo com os rumores, a Apple vai avançar com o MagSafe Charger e o MagSafe Duo Charger. Na prática, isto significa que vai chegar um carregador MagSafe menor, capaz de carregar apenas um dispositivo e outro, maior, com capacidade para carregar dois.