O número de pessoas encaminhadas para programas de formação do Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) está a fazer baixar o número de desempregados registados oficialmente, escreve o Jornal de Notícias esta terça-feira. Segundo o jornal, nos dois meses em que o desemprego caiu (outubro e novembro), foi registado um aumento de 32% no número de inscritos em programas ocupacionais para desempregados, para cerca de 108 mil, um máximo de quatro anos. Quem frequenta estes planos não conta para o desemprego oficial.

Ao JN, o Ministério do Trabalho refere que a tendência de diminuição do desemprego tem sido resultado do “abrandamento dos fluxos de novas inscrições” e da “aceleração dos fluxos de saída”, nos quais se incluem as “colocações em emprego” e os “encaminhamentos para medidas ativas de emprego e formação”.

Os últimos dados do IEFP, referentes a novembro, revelam que nesse mês estavam desempregadas 398.287 pessoas, um aumento de 30,2% face ao mesmo mês do ano anterior, mas uma redução de 1,3% em relação a outubro, que também tinha tido uma diminuição. As regiões de Lisboa e Vale do Tejo e do Algarve foram as mais afetadas pela subida do desemprego. De acordo com uma contabilização do JN, em 34 concelhos, o desemprego aumentou mais de 50%.