Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Nuno Crato, antigo ministro da Educação, defende que todos os alunos, em todos os graus de ensino, sejam sujeitos a testes no regresso às aulas. O objetivo, aponta, é conseguir perceber “em que ponto o aluno está”. “Deveria ser imediatamente, logo que se retorne. Um momento em que haja um teste estilo prova de aferição. Não que conte para a nota, mas para conhecermos o estado do ensino”, defende o ex-governante que diz ser “dramático” não se conhecer o estado do ensino.

Em entrevista ao Diário de Notícias, Nuno Crato defende ainda que há “alguma revolta” entre os professores, que “olham para o lado” e veem taxas de vacinação bem diferentes em países como o Reino Unido, Estados Unidos ou Israel.

“Estávamos à espera que este problema pudesse estar resolvido nos primeiros meses deste ano e não está. E está a demorar muito. Há aqui alguma revolta”, afirmou Nuno Crato, considerando “um bocadinho desmoralizador” que o processo não esteja mais avançado.

Já sobre a falha nas entregas dos computadores, o ex-ministro aponta diretamente a Tiago Brandão Rodrigues e diz ser “um bocadinho deprimente” que se tenha feito essa promessa e os equipamentos não tenham chegado aos alunos.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR