O treinador de futebol do Sporting, Rúben Amorim, afirmou esta terça-feira partilhar a mesma opinião que a maioria dos colegas e espera que a Superliga Europeia não se venha a concretizar.

Rúben Amorim, que falava em conferência de imprensa de antevisão à receção desta quarta-feira ao Belenenses SAD, para a 28.ª jornada da Liga, considera que a prova “não faz muito sentido“.

O Sporting já respondeu a esse tema. Toda a gente no mundo do futebol já disse o que tinha a dizer. Não faz muito sentido. É um grupo restrito de clubes que querem crescer mais do que os outros. Espero que não vá para a frente, como já muitos treinadores já o disseram. Sou da mesma opinião. Não é um dado adquirido. A prova foi apresentada, ainda pode voltar atrás. É uma questão de dinheiro e pode haver acordo entre os clubes”, afirmou.

No domingo, 18 de abril, AC Milan, Arsenal, Atlético de Madrid, Chelsea, FC Barcelona, Inter Milão, Juventus, Liverpool, Manchester City, Manchester United, Real Madrid e Tottenham anunciaram a criação da Superliga europeia, à revelia de UEFA, federações nacionais e vários outros clubes.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A competição vai ser disputada por 20 clubes, 15 dos quais fundadores — apesar de só terem sido revelados 12 — e outros cinco, qualificados anualmente. A UEFA anunciou que vai excluir todos os clubes que integrem a Superliga, assegurando contar com o apoio das federações de Inglaterra, Espanha e Itália, bem como das ligas de futebol destes três países.

Entretanto, o organismo que rege o futebol europeu anunciou o alargamento da Liga dos Campeões de 32 para 36 clubes, a partir de 2024/25, numa liga única, com cinco jogos em casa e outros tantos fora.