Logo Observador
Mercado Cambial

Suíça deixa de intervir no mercado para travar o franco. Moeda dispara 27%

116

Banco Nacional Suíço anunciou esta quinta-feira que vai deixar de intervir no mercado cambial para impedir a valorização do franco suíço face ao euro, algo que vinha fazendo desde 2011.

Intervenção no mercado foi iniciada em 2011.

AFP/Getty Images

O franco suíço já esteve a disparar 27% face ao euro esta quinta-feira, resultado de um anúncio por parte do Banco Nacional Suíço que apanhou os mercados cambiais desprevenidos. O banco central está desde 2011 a intervir no mercado cambial, utilizando reservas próprias para vender francos no mercado de forma a impedir que a moeda suíça se valorizasse para mais de 1,20 francos suíços por euro. Essa intervenção vai deixar de acontecer, com efeitos imediatos, informou a autoridade monetária em comunicado emitido nesta quinta-feira.

“A taxa de câmbio mínima foi introduzida durante um período marcado por uma sobrevalorização excecional do franco suíço e um nível extremamente elevado de incerteza nos mercados financeiros”, pode ler-se no comunicado. A intervenção no mercado, que era decisiva para manter o franco próximo de um valor de 0,83 euros (ou, no par inverso, 1,20 francos por euro), foi uma “medida excecional e temporária para proteger a economia suíça contra danos graves”.

Em 2011, quando a crise da dívida europeia caminhava para o seu auge, o franco suíço mostrava sinais claros de subida, com muita liquidez financeira a procurar abrigo na moeda suíça como resposta à incerteza que, sobretudo na altura, afetava a moeda única europeia. Uma valorização excessiva do franco poderia ter um impacto muito desfavorável para a economia suíça, em especial sobre o setor exportador, já que este poderia sofrer com uma moeda mais cara e com produtos que, por essa razão, se tornavam menos competitivos no comércio internacional.

“Recentemente, divergências entre as políticas monetárias das principais zonas monetárias aumentaram de forma significativa – uma tendência que deverá tornar -se ainda mais pronunciada”, explica o Banco Nacional Suíço. Espera-se que o Banco Central Europeu (BCE) anuncie na próxima semana mais medidas de estímulo, o que, a confirmar-se, irá pressionar ainda mais o valor do euro. “O euro depreciou-se de forma considerável face ao dólar norte-americano e isto, por sua vez, levou a que o franco suíço perdesse valor face ao dólar norte-americano. Nestas circunstâncias, o Banco Nacional Suíço concluiu que fazer cumprir e manter o objetivo de 1,20 francos suíços por euro já não se justifica“, esclarece o banco central.

Em reação ao anúncio, o franco suíço disparou mais de 27% face ao euro, o que equivale a uma forte desvalorização do euro face ao franco suíço, agora que a intervenção do banco central termina.

Euro afunda-se e volta aos níveis antes do início da intervenção, em 2011

EURCHF Curncy (EUR-CHF X-RATE)   2015-01-15 11-44-43

O euro afundou face ao franco suíço assim que foi conhecida o abandono da intervenção do banco central no mercado cambial. Caiu, rapidamente, para os valores que levaram, em 2011, o banco central a intervir. Fonte: Bloomberg

Em nota enviada ao Observador, Beat Siegenthaler, analista de mercados cambiais do UBS, em Genebra, diz que esta é uma “decisão choque” por parte do Banco Nacional Suíço. “Parece provável que a decisão hoje anunciada terá ramificações significativas para a Suíça, já que muito poucas pessoas previam que a intervenção fosse abandonada nos próximos anos”, escreve o especialista.

A queda de 27% assim que o anúncio foi comunicado poderá dever-se, apenas, a um choque inicial. Caso o par cambial não regresse, pelas forças de mercado normais, a um nível mais próximo do intervalo desejado pelo Banco Nacional Suíço, “muitos negócios e decisões de investimento podem deixar de parecer viáveis e, a prazo, um volume significativo de produção económica pode sair do país”, teme Beat Siegenthaler.

Um outro economista, Christian Schulz, do Berenberg Bank em Londres, nota que “a decisão foi uma surpresa”. “Tendo em conta que a intervenção no mercado cambial tem sido bem-sucedida ao longo de tanto tempo, acreditávamos que o Banco Nacional Suíço evitasse os riscos associados ao abandono desta intervenção”. “As exportadoras podem tornar-se menos competitivas e alguma produção pode ser transferida para fora do país”, concorda o economista alemão, notando que “o turismo e o comércio a retalho também podem ser penalizados”.

E para a zona euro? “Para a zona euro, o impacto deve ser limitado“, diz Christian Schulz. “O Banco Nacional Suíço tem sido um grande investidor em dívida pública francesa e alemã, entre outros, no âmbito da intervenção no mercado monetário para defender o valor do suíço. Mas a procura por dívida pública destes países é suficiente, de qualquer forma, mesmo sem as compras por parte do Banco Nacional Suíço”, diz o economista.

Quanto à economia, “a Suíça é o quarto maior mercado de exportações da zona euro, mas o efeito sobre a balança comercial é difícil de avaliar”, diz Christian Schulz. “Um franco suíço forte poderá aumentar a procura pelos suíços de produtos produzidos na zona euro mas, ao mesmo tempo, uma crise económica na Suíça seria algo negativo” para a zona euro, defende.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: ecaetano@observador.pt
Global Shapers

Portugal: a nação reinventada

Miguel Santo Amaro

Que Portugal queremos comunicar no contexto internacional? O Portugal de Fátima? O Portugal de Cristiano Ronaldo? O Portugal de Salvador Sobral? Ou o Portugal da Web Summit?