Desemprego

Desemprego aumenta outra vez, taxa sobe para 12,4%

2.039

A taxa de desemprego voltou a aumentar no primeiro trimestre, pelo segundo trimestre consecutivo, para o valor mais alto do último ano. Lisboa justifica subida e já tem mais desemprego que o Norte.

PAULO NOVAIS/LUSA

A taxa de desemprego voltou a aumentar no primeiro trimestre, pelo segundo trimestre consecutivo, atingindo agora os 12,4%, mais duas décimas que o verificado no final de 2015, de acordo com o Instituto Nacional de Estatística (INE). Já há mais de 640 mil pessoas desempregadas.

No final do ano passado a taxa de desemprego já tinha crescido de 11,9% para 12,2%, mas a trajetória em termos trimestrais tem sido errática. No início do ano passado a taxa de desemprego também registou uma subida de duas décimas, para 13,7%, mas no segundo trimestre registou uma queda significativa, para 11,9%, valor que manteve no terceiro trimestre, antes de reiniciar a trajetória ascendente que volta a verificar no início deste ano.

Agora, segundo o INE, o desemprego subiu para 12,4% devido não só ao aumento do número de pessoas desempregadas – mais 6,3 mil pessoas só entre janeiro e março –, mas também porque a população ativa, que serve de base ao cálculo da taxa de desemprego, diminuiu em 42 mil pessoas, depois de uma ligeira recuperação no último trimestre do ano passado.

desemprego por trimestre

Taxa de desemprego por trimestre. Fonte: INE

O sinal de alarme é reforçado quando se olham para os números da população empregada. Segundo o INE, havia menos 48,2 mil pessoas empregadas no final do primeiro trimestre deste ano que havia no final do ano passado.

Ainda assim, mesmo com os dois agravamentos consecutivos, em termos trimestrais, a comparação em termos homólogos continua a ser positiva, graças à queda significativa na taxa de desemprego entre o primeiro e o segundo trimestre do ano passado. No primeiro trimestre do ano passado, a taxa de desemprego atingia os 13,7%, ou seja, mais 1,3 pontos percentuais que o verificado nos primeiros três meses deste ano.

Menos 67,5 mil empregos desde o verão

Só desde o início de julho, a economia portuguesa já terá perdido 67,5 mil empregos, com a maior parte a desaparecer nos primeiros três meses do ano.

A diminuição do emprego é natural no primeiro trimestre do ano, explica o INE, mas a dimensão da subida é maior que a dos últimos anos. Nas contas do INE, a subida do desemprego no primeiro trimestre deste ano é superior ao que aconteceu no início dos anos de 2014 e 2015 e igual ao que aconteceu no início de 2012. Pior mesmo só o que aconteceu em 2013.

Desemprego aumenta mais em Lisboa

Olhando para os números por região, a conclusão é óbvia: apesar de o desemprego aumentar também na região Centro, é em Lisboa que o aumento está concentrado.

Segundo o INE, a taxa de desemprego na Área Metropolitana de Lisboa não só foi a que mais aumentou (1,2 pontos percentuais), como ultrapassou a taxa da região Norte e é já a segunda mais alta do país, ao atingir os 13,7%.

Desemprego mais elevado que em Lisboa só na Região Autónoma da Madeira, que tem vindo a reduzir de forma consistente o desemprego na região.

desemprego por região

Taxa de desemprego por região. Fonte: INE

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: nmartins@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site