A Amazon acaba de gastar entre 970 milhões e 1,1 mil milhões de dólares na compra de um site que permite aos utilizadores ver outras pessoas a jogar videojogos. Pode parecer estranho, mas a verdade é que “transmitir e ver jogos é um fenómeno global”, explica Jeff Bezos, presidente da Amazon. E não é um fenómeno qualquer: em 2013, o campeonato mundial de League of Legends (um popular jogo de fantasia) teve 32 milhões de espetadores, enquanto o último jogo da final do campeonato de NBA teve 26 milhões.

O site que a Amazon agora comprou chama-se Twitch, nasceu em 2011 e promete ser o próximo caso sério no que à tecnologia diz respeito. Em julho, o Twitch tinha já mais de 55 milhões de utilizadores, o que faz dele o site mais popular do mundo na transmissão de jogos de vídeo. Além disso, o Twitch é um dos 15 sites mais visitados da internet. E o conceito é simples: vemos um ecrã de jogo ao centro com as imagens dos respetivos jogadores em direto e, ao lado, podemos interagir com eles através de uma caixa de chat, onde os utilizadores se entretêm a dar dicas e a comentar o jogo. Segundo o site, os seus frequentadores veem mais de 16 mil milhões de minutos de jogos todos os meses.

“Antes do Twitch, jogar era algo que se fazia na cave. Agora é uma coisa que se pode fazer em grupos com centenas e milhares de pessoas”, afirma David Cowan, um investidor no site, ao New York Times. Para a Amazon, o interesse será sobretudo ao nível da publicidade, uma vez que, nos Estados Unidos, o Twitch é o site de streaming mais acedido, à frente de marcas estabelecidas há mais anos no mercado, como a WWE ou a ESPN – ambas especializadas em desporto. Mesmo comparando com alguns canais de televisão por cabo, o Twitch ultrapassa em audiência a MTV e não fica longe da CNN, por exemplo.

A compra do Twitch pela Amazon está a ser encarada por especialistas como surpreendente, sobretudo no que diz respeito aos valores envolvidos. O que é certo é que o site esteve quase a ser comprado pela Google já este ano e pelo mesmo valor que a Amazon agora gastou. A empresa liderada por Jeff Bezos espera obter mil milhões de dólares em lucros este ano.