Rádio Observador

Tecnologia

Sapo ‘dá o salto’ com nova identidade e projeto de Lifestyle

São várias as novidades do novo portal Sapo: uma só homepage para computador, smartphone e tablet, nova Banca Sapo, nova plataforma de conteúdos Lifestyle e a Mitrologia, para entreter e fazer rir.

A nova página do portal Sapo arranca esta quarta-feira com uma nova identidade

A nova página do portal Sapo arranca esta quarta-feira com uma nova identidade, imagem, logótipo e conteúdos, anunciou Celso Martinho, diretor-geral da Sapo, na apresentação desta quarta-feira. A grande novidade vai para aquela que Celso Martinho diz ser a “maior plataforma colaborativa de conteúdos” em Portugal, a Sapo Lifestyle, que reúne contribuições oriundas de 40 parceiros, em áreas como a astrologia, mulher, sabores ou bloggers, como é o caso d’ A Pipoca Mais Doce.

“É uma reorganização dos conteúdos, que passam a ficar debaixo desta ‘umbrella’ que é o Sapo Lifestyle”, explicou Celso Martinho, que acrescenta que o Sapo “deu o salto”, apresentando-se como uma marca “moderna, pura, matemática, que respeita o legado”.

As novidades não se ficam pelo projeto de Lifestyle. Com o lançamento do novo portal, a Sapo “matou o Sapo mobile”, porque a nova homepage foi desenhada para ser utilizada em computadores, smartphones ou tablets, explicou Celso Martinho. “Passamos a ter uma só página para todos os canais em que estamos presentes”, referiu, desafiando os utilizadores a “encontrarem uma página em Portugal que carregue tão depressa como esta”.

O humor também vai ter espaço no novo Sapo, com a série Mitrologia, que junta humoristas como Salvador Martinha, Luís Franco Bastos ou Luciana Abreu numa reinvenção daquilo que é o boletim meteorológico. As notícias do dia serão contadas em episódios que pretendem entreter e fazer rir.

Nos smartphones e tablets, as novidades seguem para a app Banca Sapo, líder de mercado com mais de 300 mil utilizadores ativos, que foi redesenhada com novas funcionalidades e melhorada para os novos sistemas operativos. A plataforma de blogues, que tem mais de 500 mil blogues registados, também foi relançada com uma versão responsive, que, segundo o diretor-geral, passa a “funcionar muito bem” nos equipamentos móveis.

Começámos por ser um motor de busca (…) e conseguimos construir uma rede quase única a nível mundial. Fomos um dos primeiros projetos digitais a antecipar as tendências tecnológicas em termos de smartphones, televisão, etc”, disse Celso Martinho.

A Sapo surgiu há 19 anos no seio da Universidade de Aveiro. A nova identidade é lançada esta quarta-feira em todos os países em que o portal está presente: Portugal, Cabo Verde, Angola, Moçambique e Timor-Leste. E há mais uma novidade: o portal português é um dos 200 no mundo que tem um domínio único: em breve, o Sapo.pt vai passar a ser apenas Sapo.

“Temos sido uma fábrica de inovação dentro do grupo Portugal Telecom (PT) (…), mas nós nunca nos vamos esquecer da nossa razão de existir, que são as pessoas que nos visitam todos os dias”, referiu Celso Martinho, que enumerou os valores da empresa que lançou há quase 20 anos: inovar, saber antecipar as tendências e comportamentos dos utilizadores, responder rapidamente, saber renovar e simplificar a oferta.

Através do Sapo Labs, a empresa aproxima-se das universidades e há sete anos que organiza o Sapo Codebits, um dos eventos de maior referência na área da tecnologia em Portugal. “Temos de estar perto do talento português, que é o nosso maior ativo, e arriscar“, disse o diretor-geral. Até ao final do ano, a empresa promete trazer mais novidades

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: apimentel@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)