O presidente da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), Fernando Gomes, disse hoje que a instituição pretende reforçar a aposta no jogador português, que se tem intensificado nos últimos anos com as equipas B.

“Queremos consensualizar posições e ouvir opiniões para encontrarmos uma via que reforce o que tem sido feito nos últimos três ou quatro anos, principalmente com a reintrodução das equipas B”, afirmou o responsável.

Fernando Gomes falava à margem do 1.º Fórum do Desenvolvimento do Futebol, promovido pela FPF, que decorre até domingo numa unidade hoteleira de Olhão.

As medidas de proteção e apoio ao jovem jogador português e os quadros competitivos das provas nacionais de futebol são os dois grandes temas da iniciativa.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Fernando Gomes considerou que o regresso das equipas B, incorporadas na II Liga de futebol, deu “um espaço competitivo ao fim da formação” dos jogadores, o que permitiu a sua valorização e afirmação, beneficiando igualmente as seleções jovens.

O presidente da federação recorda que Portugal, ao nível da sua liga principal, é um dos países da Europa “que tem uma maior taxa de jogadores que não podem ser utilizados na seleção nacional”, devido ao elevado número de atletas estrangeiros e também por razões legais.

“Por pertencermos à comunidade europeia, temos dificuldades jurídico-legais, mas fundamentalmente devido ao acordo com o Brasil em relação à igualdade de direitos, temos muitos constrangimentos que nos impedem de regulamentarmente eliminar a utilização de jogadores que não possam representar a seleção nacional”, assinalou.

Fernando Gomes espera que o fórum traga mais propostas, apesar de ter criticado a ausência dos clubes que, “de uma forma sistemática, criticam a utilização dos jogadores portugueses”, embora tenham sido convidados atempadamente para o evento.

O presidente da FPF comentou ainda o percurso da seleção portuguesa na qualificação para o Euro2016 de futebol, um dia depois da vitória de Portugal sobre a Arménia, por 1-0, no estádio Algarve, em jogo do Grupo I.

“Temos seis pontos, mas não é com seis pontos que estaremos na fase final do Europeu. Temos de continuar o nosso caminho com ponderação, motivação e esforço, tal como o temos feito até aqui, em circunstâncias muito difíceis”, referiu.