A segurança junto à Escola Básica n.º 2 de Lamaçães, Braga, vai ser reforçada, depois de uma professora ter sido agredida com uma bofetada por uma mãe, informou o diretor do Agrupamento de Escolas D. Maria II. João Dantas disse à Lusa que, após o incidente, registado na manhã de hoje, a direção do agrupamento reuniu-se com a PSP e com a Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares, tendo ficado acertado “um reforço de segurança” naquela escola. Segundo João Dantas, a PSP, além dos agentes da Escola Segura, manterá ainda de prevenção uma “equipa de intervenção rápida, para acudir a qualquer eventualidade”.

Para além disso, a escola passará também a contar com a presença de vigilantes, ao abrigo de um programa da Direção de Serviços da Segurança Escolar. “Queremos devolver à escola um clima de paz e tranquilidade”, disse João Dantas. Segundo fonte a PSP, uma professora daquela escola de Lamaçães foi hoje agredida com “uma bofetada” por uma mãe, que ali terá ido, com o marido, “tirar satisfações” pela alegada agressão da docente a uma filha.

Após a agressão, os pais foram embora mas regressaram à escola horas mais tarde, altura em que a docente em questão, de 42 anos, “se sentiu mal”, eventualmente com “uma crise de ansiedade”, tendo sido transportada para o hospital. Segundo a PSP, os pais da aluna formalizaram hoje queixa contra a professora, por alegada agressão à filha durante as aulas.

O caso vai ser participado ao Ministério Público. O diretor do agrupamento disse à Lusa que já no anterior ano letivo tinha havido um episódio semelhante ao de hoje, envolvendo, dessa vez, o elemento masculino daquele casal. Nessa altura, o homem “encostou a mão” à cara de uma professora, que apresentou queixa no Ministério Público. “Mas, até à data, não temos conhecimento de qualquer desenvolvimento em relação a este processo”, referiu João Dantas. O casal envolvido nos incidentes tem atualmente quatro filhos naquela escola.