O autor japonês de banda desenhada Katsuhiro Otomo, criador da série “Akira”, venceu o Grande Prémio do Festival de BD de Angoulême, que decorre em França, revelou a organização. Katsuhiro Otomo, 60 anos, é o primeiro autor asiático e o primeiro autor de manga (designação para BD japonesa) a receber este prémio de carreira de Angoulême, o mais importante dedicado à banda desenhada e que cumpre a 42ª. edição. Para este prémio estavam também nomeados o argumentista britânico Alain Moore e o autor belga Hermann.

Otomo é considerado uma das referências da manga e a série “Akira”, editada entre 1982 e 1989 e que também está publicada em Portugal, é uma das mais célebres do autor e que popularizou a banda desenhada japonesa no Ocidente. Antes de “Akira”, Katsuhiro Otomo publicou “Jyu-sei”, adaptação de um romance de Prosper Mérimée, “Fireball”, no qual desponta o interesse do autor pela ficção científica, e o premiado “Domu”.

“Akira”, já adaptado para cinema, é uma série composta por seis volumes, cuja acção se passa num futuro próximo em NeoTokyo, uma cidade construída numa ilha artificial depois de uma terceira guerra mundial e que vive subjugada pelo crime, pela violência e pela corrupção. O autor também tem o nome ligado ao cinema de animação, tendo escrito e realizado, por exemplo, “Akira” e “Steamboy”.

Katshuiro Otomo mostrou-se surpreendido por receber este prémio de Angoulême, por já não desenhar com regularidade, mas desdobrou-se em agradecimentos pelo reconhecimento. Em 2015, Otomo presidirá ao júri do festival e terá a obra em destaque numa exposição retrospetiva.

O festival de Angoulême atribuiu ainda um Prémio Especial ao jornal francês Charlie Hebdo, em memória das vítimas do ataque terrorista de 07 de janeiro, em Paris. O vencedor do novo prémio criado pelo festival, intitulado “Charlie Hebdo”, em defesa da liberdade de expressão, será anunciado no domingo, no encerramento do festival. Em 2014, Angoulême atribuiu o Grande Prémio ao autor norte-americano Bill Watterson, criador da série “Calvin & Hobbes”.