A greve parcial no Metro de Lisboa marcada para sexta-feira de manhã foi adiada para os próximos dias 16 e 18 de março, nos mesmos moldes, disse esta quinta-feira à Lusa fonte sindical.

De acordo com Anabela Carvalheira, da Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações (Fectrans), a greve foi adiada e só se realizará se a empresa não se reunir com os trabalhadores num encontro já marcado para dia 06 de março.

“Analisámos a greve anterior e resolvemos dar um sinal de boa-fé devido à realização de uma reunião com a empresa marcada para dia 06 de março, com vontade de resolver as questões”, disse.

A greve parcial dos trabalhadores do Metro estava marcada para sexta-feira, entre as 06h30, hora normal de abertura das estações, e as 09h30.

A greve tinha sido convocada, de acordo com Anabela Carvalheira, devido “às péssimas condições de trabalho que estão a ser impostas aos trabalhadores, sobretudo na área operacional”.

“A falta de diálogo que tem havido, quer com a empresa quer com o Governo, para resolver os problemas concretos de trabalho da maior parte das categorias profissionais, a redução cada vez mais acentuada do número de trabalhadores, o pior serviço público que estamos a prestar à população, quer por razões economicistas quer por esta redução de trabalhadores e a defesa da empresa enquanto empresa pública”, sintetizou ainda a sindicalista, como razões para a paralisação.

Um tribunal arbitral tinha já decretado serviços mínimos para a paralisação de sexta-feira.