A iniciativa «Mudar a Bem» constitui-se como “um encontro de emergência nacional” dinamizado pelo “Movimento Alternativa e Responsabilidade” – tendência dentro do CDS – que pretende reunir a 7 de março no Fórum Lisboa, um conjunto de várias personalidades e cidadãos nacionais “interessados em abordar os grandes temas de Portugal e da Europa”, segundo o website oficial do movimento.

“No momento particularmente crítico que atravessamos, em que estão em causa questões determinantes para o nosso futuro coletivo, é urgente promover um debate político sereno e responsável que se imponha à tentação do populismo fácil e à ameaça das visões mais extremistas”, dizem os dinamizadores desta iniciativa na sua página oficial.

Filipe Anacoreta Correia, líder do movimento que em janeiro de 2014 disputou o lugar de líder do CDS contra Paulo Portas, disse numa entrevista à Rádio Renascença que pretende apoiar a coligação entre o CDS e o PSD e “garante que quer contribuir para uma derrota do PS nas próximas eleições legislativas”.

“O CDS, para ainda não ter apresentado um caminho próprio, é porque ambiciona essa coligação”, diz o líder do movimento à Renascença. Reconhece também que não está satisfeito com o desempenho do Governo atual e que quer contribuir para “ajudar o CDS e mesmo o PSD a irem ao encontro dos eleitores, em vez de os afastarem cada vez mais”.

O encontro marcado para dia 7 de março pretende assim refletir acerca do contexto atual de Portugal no que toca aos problemas das esferas política e económica, de pensar o lugar do país “no contexto Europeu e Atlântico” e de discutir o “futuro económico e institucional da União Europeia”. Conta com a participação de nomes como João Taborda da Gama, Raquel Vaz Pinto e dos ex-líderes do partido Ribeiro e Castro e Manuel Monteiro (este já afastado do CDS).