O primeiro-ministro afirmou hoje que o Estado reforçou as verbas destinadas à preparação dos atletas paralímpicos para os próximos jogos, que se realizam no Rio de Janeiro em 2016.

“Nós reforçámos de forma significativa, em um pouco mais de metade daquilo que era verba destinada à preparação de Londres, toda esta preparação que vai ter lugar para o Rio de Janeiro”, disse hoje o primeiro-ministro, acrescentando que também junto do comité paralímpico o Estado reforçou “os meios necessários para que toda a preparação decorresse de uma forma atempada e proporcionando portanto os melhores resultados possível”.

Pedro Passos Coelho discursava para um grupo de cerca de 20 atletas paralímpicos, medalhados nas mais diversas modalidades, que convidou para um almoço hoje em Lisboa. O chefe do Governo antecipou também os Jogos Paralímpicos de Tóquio, que decorrem em 2020, dizendo que o Estado vai procurar “propiciar uma preparação o mais atempada possível, atendendo portanto a um ciclo mais longo de preparação”, à semelhança do que aconteceu com os Jogos Olímpicos.

“O Estado tem procurado apoiar, mesmo tendo em conta as restrições que tem enfrentado, da melhor forma possível a preparação dos nossos atletas”, continuou Passos Coelho.

O primeiro-ministro classificou os atletas paralímpicos como “dos melhores” que o país tem, considerando-os “os heróis de um Portugal livre e democrático” pois conseguem superar-se mais do que qualquer outro desportista e “são uma fonte de inspiração muito grande para todos os outros que sabem que nem sempre encontram ao longo da vida as condições ideais para atingirem os seus sonhos”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O encontro com os atletas paralímpicos vem no seguimento de um outro encontro com atletas medalhados olímpicos, no dia 25 de abril. “Não era possível, por razões físicas, fazer em simultâneo as duas cerimónias e portanto como não queríamos deixar passar muito tempo ficou desde logo combinado que faríamos, na primeira oportunidade, este encontro com todos os nossos atletas medalhados paralímpicos”, declarou.

Passos Coelho demonstrou ainda pena por não estarem presentes os atletas de ‘boccia’, uma vez que se encontram em competição, e recordou os orgulhos que estes atletas dão a Portugal com os resultados que alcançam. “É para o Governo uma honra muito grande poder apresentar um palmarés tão recheado de medalhas paralímpicas que os nossos atletas têm conquistado para Portugal”, concluiu o primeiro-ministro.

Passos Coelho declarou ainda que “já lá vai o tempo em que se concentrava a atenção pública nos Jogos Olímpicos”, expondo que “cada vez mais há uma atenção especial para os Jogos Paralímpicos”, que na sua opinião se deve em grande parte aquele que tem sido o esforço e o exemplo destes atletas. No almoço com os atletas paralímpicos medalhados estiveram ainda presentes o ministro da Presidência, Marques Guedes, o ministro da Solidariedade, Trabalho e Segurança Social Pedro Mota Soares, e o secretário de Estado do Desporto e Juventude Emídio Guerreiro.