Fazer diretas antes de um exame é um clássico. Uns fazem-nas porque começaram a estudar tarde, outros porque a ansiedade não permite dormir e até há aqueles que têm medo de não acordar a tempo da prova. Se sofre de algum destes males, saiba que estudar em cima da hora nunca surtiu grandes efeitos e o melhor é mesmo ir dormir.

Um estudo recente, publicado na PLOS Computational Biology e feito pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte, no Brasil, revelou que dormir é essencial para preservar as memórias, principalmente durante a época de exames.

Isto porque, tal como a pesquisa concluiu, dormir ativa as sinapses no nosso cérebro — o espaço onde dois neurónios comunicam e neurotransmissores são libertados –, num processo conhecido por potenciação de longa duração.

Dependendo da presença ou não dessa potenciação, o sono pode ter efeitos completamente diferentes. A falta de potenciação de longa duração pode levar à perda de memória, enquanto a sua presença pode fortalecer as memórias ou originar o aparecimento de novas.

Segundo o The Indian Express, o estudo também se debruçou sobre questões empíricas e teóricas, de forma a perceber o complexo papel do sono na aprendizagem, na memória seletiva e na criatividade.

Caso esteja em época de exames, opte por estudar durante o dia e descansar durante a noite. Pode ser que uma boa noite de sono o ajude a conseguir aquelas décimas a mais.