Maquilhagem

Tem os seus cremes sincronizados com o horário da sua pele?

174

Afinal, a nossa pele também tem um relógio biológico. Faz a depilação à noite? Vai ao spa de manhã? E só tira a maquilhagem antes de se deitar? Então está a fazer tudo errado.

Investigadores afirmam que a pele precisa de cuidados específicos a diferentes horas do dia e respeitar este fuso horário permite-nos tirar maior partido dos cremes e tratamentos que fazemos.

© S847/ iStock

Autor
  • Helena Magalhães

O que é que lhe vem à cabeça quando ouve falar de relógio biológico? Aquela altura da vida em que as mulheres já começam a pensar em bebés? Pode ser, mas não é disso que estamos a falar. Além do corpo, também a nossa pele tem um relógio biológico. Parece curioso mas, segundo o Journal of Investigative Dermatology, a pele desempenha uma série de funções ao nível da formação de barreiras e de regulação térmica, e a sua exposição às radiações UV e à temperatura varia drasticamente ao longo do dia e da noite, daí que não seja surpreendente que a pele, tal como o corpo, também tenha flutuações diárias. Podemos falar, assim, de um relógio da pele.

É este relógio biológico que regula o comportamento das nossas células e garante que a pele atua na proteção durante o dia e na regeneração durante a noite. Investigadores do Hospital Universitário de Berlim e do Skin Research Center em Hamburgo apresentaram mesmo um estudo onde defendem que a pele se adapta melhor a certos processos em diferentes horários. Perceber isso significa usar produtos e medicamentos na hora do dia em que funcionam melhor e têm menos efeitos colaterais.

Com a ajuda de Álvaro dos Santos, bioquímico especialista em dermocosmética, apresentamos um cronograma do relógio biológico da pele para perceber o que esta pede a cada hora do dia e saber como atuar em cada momento.

Entre as 06h00 e as 08h00

Além de ser obrigatório passar o rosto por água para limpar as impurezas resultantes da regeneração noturna, esta é a altura do dia em que acumulamos mais líquidos no corpo e em que estamos mais “inchados”. É, por isso, o momento crítico para olheiras e rugas e a altura em que devemos atacar com produtos que atuem nas funções superficiais da pele. Falamos de cremes de dia, cremes de olhos e hidratantes, entre outros.

Entre as 08h00 e as 10h00

De manhã, a pele está mais sensível, é verdade, mas neste momento as células estão a funcionar a todo o gás — este é o pior momento para fumar porque o fumo vai acelerar (ainda mais) o envelhecimento precoce. Mas é a altura certa para beber muita água para equilibrar a barreira protetora natural da pele. Se não bebermos água, as nossas células simplesmente não conseguem funcionar corretamente.

Entre as 10h00 e as 13h00

Se quiser fazer tratamentos mais dolorosos, como depilação ou tratamentos a laser, aposte neste horário porque é a altura do dia em que os nossos níveis de adrenalina estão mais altos.

Entre as 13h00 e as 15h00

Não é à toa que esta é a hora crítica do sol — não só a pele precisa de mais proteção nesta altura (para manter a barreira natural que está no seu momento ideal) como os níveis de radiação UV estão tão elevados que 15 minutos neste horário fazem pior do que duas horas de manhã ou à tarde. Para quem coloca protetor solar de manhã, e uma vez que por esta altura o seu efeito já desapareceu, deve aplicar um protetor com cor por cima da maquilhagem para dar uma proteção extra. Se tem por hábito almoçar à mesa do escritório enquanto olha para o computador, tem de abolir essa rotina da sua vida. Este é o momento do dia em que a nossa pele está mais propensa a desenvolver um aspeto cansado e 15 minutos de descanso podem ser milagrosos.

Entre as 15h00 e as 17h00

Sempre que se olha ao espelho percebe que precisa de um retoque, certo? Principalmente na zona da testa e nariz — é normal. Esta é a fase em que a nossa pele vai estar tipo batata frita, porque as glândulas produtoras de óleo trabalham, aqui, duas vezes mais. Pode passar uma toalhita absorvente de oleosidade (ou, na sua ausência, limpe o excesso de brilho com pequenas pancadinhas nas zonas mais críticas com um lenço) e passe pó matificante para voltar a deixar a pele mate como de manhã.

Entre as 17h00 e as 21h00

Esta é, não só, a altura do dia em que os níveis de poluição aumentam consideravelmente (com o fluxo de pessoas a sair dos empregos e a conduzir para casa), como o momento em que a pele fica mais vulnerável aos danos provocados pelos radicais livres. Tenha sempre um hidratante rico em antioxidantes na gaveta da secretária e aplique antes de se fazer à estrada para casa. Se gosta de fazer massagens e ir ao spa, este é também um bom momento para trabalhar a melhoria da circulação sanguínea.

Entre as 21h00 e as 23h00

A pele fica mais recetiva à noite, quando a temperatura do corpo sobe, e isto permite uma maior permeabilidade dos ingredientes ativos dos produtos que usamos. Ou seja, a atividade metabólica é mais intensa quando a pele está menos vulnerável a fatores externos (poluição, radiação UV, radicais livres, stress, temperatura), por isso tudo o que sejam limpezas, esfoliações ou máscaras vão ter uma penetração ideal nesta altura do dia. Dica: por mais exausta que esteja, não deixe a limpeza de pele ser a última coisa que faz. Retire toda a maquilhagem mal chegar a casa.

Entre as 23h00 e as 06h00

Este deveria ser, idealmente, o fuso horário certo para dormir porque é entre as 23h00 e as 06h00 que ocorre a regeneração da pele, que tem o seu pico entre a meia-noite e a uma da manhã (sim, todos deveríamos estar em sono profundo a esta hora…). Este é o momento certo para aplicar um creme de noite, um sérum ou máscaras noturnas que ajudem na regeneração, porque é agora que a produção de ATP (a nossa “reserva energética”) aumenta e isto está associado a uma maior atividade celular. Por menos paciência que tenha, aposte sempre num bom creme noturno — durante a noite, a função de barreira da nossa pele é menor e torna-a, por isso, mais recetiva aos tratamentos.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)