O filme “Il Solengo“, de Alessio Rigo de Righi e Matteo Zoppis, venceu o Grande Prémio Cidade de Lisboa para o Melhor Filme da Competição Internacional da edição de 2015 do DocLisboa, anunciou a organização do evento.

Em “Il Solengo”, um grupo de velhos habitantes recorda a vida de Mario de Marcella, um eremita que viveu nos bosques em redor. As discussões animadas que se seguem são frequentemente conflituosas e contraditórias. O eremita, conhecido pelos homens como “il solengo”, como o javali solitário, optou por viver afastado da alcateia. Passa na Culturgest, às 21h30.

https://vimeo.com/86564504

Na categoria portuguesa, o filme “Rio Corgo“, de Maya Kosa e Sérgio da Costa, venceu o Prémio Liscont para Melhor Filme da Competição Portuguesa. Quem quiser ver o filme pode fazê-lo este domingo às 16h00, na Culturgest.

Nesta classe, “Talvez deserto talvez universo“, de Karen Akerman e Miguel Seabra Vasconcelos, arrecadou o Prémio Íngreme do Júri da Competição Portuguesa e ainda o Prémio Escola António Arroio para melhor Filme da Competição Portuguesa.

Setilo“, de Tiago Siopa, recebeu a Menção Honrosa do Júri da Competição Portuguesa, enquanto a “Phil Mendrix“, de Paulo Abreu, foi atribuído o Prémio do Público – Prémio Jornal Público para melhor Filme Português transversal a Competição, Riscos e Heart beat.

Na competição internacional, “Babor Casanova“, de Karim Sayad, arrecadou o Prémio SPA do Júri da Competição Internacional desta edição que contou com mais de 200 filmes, dos quais 43 mostrados em estreia mundial. Nesta categoria, o filme português “A glória de fazer cinema em Portugal“, de Manuel Mozos, recebeu a Menção Honrosa do Júri da Competição Internacional.

a gloria de fazer cinema em portugal

O Prémio RTP para Melhor Documentário de Investigação foi atribuído ao filme “And when I die I won´t stay dead“, de Billy Woodberry.

Dead slow Ahead“, de Mauro Herce, recebeu o Prémio FCSH para Melhor Primeira Obra transversal às Competições e Riscos, bem como o Prémio Íngreme do Júri Universidades. Nesta categoria, “88:88“, de Isiah Medina, arrecadou uma Menção Honrosa para Melhor Primeira Obra nesta categoria.

O DocLisboa decorreu no cinema São Jorge, na Culturgest e na Cinemateca, no Cinema Ideal, no Cinema City Campo Pequeno e no Museu da Eletricidade. No ano passado, o vencedor foi “Father and Sons“, documentário do chinês Wang Bing sobre a vida de um homem, que vive com os seus dois filhos na cabana da fábrica onde trabalha, com uma única cama.