Pero, o cão pastor, percorreu cerca de 400 quilómetros (240 milhas) até regressar à sua aldeia de origem, Penrhyn-coch, no País de Gales, uma povoação com cerca de mil habitantes. Foi uma longa viagem desde o norte de Inglaterra, mais exatamente desde uma quinta em Cockermouth, para onde Pero fora levado pelos seus novos donos.

Este cão pastor abandonou a sua nova moradia, surpreendendo os donos que não sabiam para onde ele teria ido. Doze dias depois, Pero apareceu frente à porta de Alan e Sham James, os seus antigos donos, na aldeia de Penrhyn-coch.

Sem Título

O percurso feito por Pero, desde Cokcermouth até Penrhyn-coch (© The Telegraph)

Em entrevista ao Telegraph, Sham James afirmou não entender como o cão terá encontrado o caminho de volta para casa. “Claramente ele não era feliz na sua nova casa, o agricultor que tomava conta dele disse-nos que ele não se parecia estar a adaptar”, explicou a dona do cão que terá fugido enquanto passeava ovelhas. As saudades da sua antiga casa terão falado mais alto.

Pero apareceu sofrendo de um ligeiro coxear e mais magro, mas “em boas condições”, informa o Telegraph. O cão poderá ter percorrido estradas bastante movimentadas no seu percurso de volta a casa, tendo feito uma média de 32 quilómetros por dia.

Especialistas explicam que os cães de pastoreio têm uma bússola natural e que não é de espantar ter encontrado o caminho de volta para a sua casa.

De regresso para junto do seu primeiro dono

De regresso para junto do seu primeiro dono

Sham James afirmou que Pero ficará a viver em Penrhyn-coch, já que “não seria justo enviá-lo de novo para fora de casa”.

Recordação de “O Regresso de Lassie”

O caso pode fazer lembrar o filme “O Regresso de Lassie”, de 1943, em que a famosa collie foge da sua nova família na Escócia e anda até Yorkshire (cerca de 400 km), para junto da sua família. Mas são vários os casos de cães que, na vida real, fizeram longas viagens para junto das suas famílias.

É o caso de Jack, um rafeiro que andou cerca de 25 quilómetros, através de um caminho que não conhecia para reencontrar-se com a família que o julgava morto. Ou então o caso de Bucky, um labrador de três anos que andou 800 km atrás do cheiro do dono, nos Estados Unidos, depois de este o ter deixado com o pai, para mudar de casa. O cão esteve desaparecido durante meses até que foi encontrado e levado a uma veterinária. A Dr. Amanda Thomas encontrou um microchip que lhe permitiu descobrir o nome do labrador e o número de telefone do dono, que se deslocou até ao veterinário para ir buscar o seu companheiro.

Existem muitos outros casos semelhantes, como o de Tony, um rafeiro que conseguiu encontrar a sua família, a quase 400 km, nos Estados Unidos. A família tinha dado o cão depois de se ter mudado para o Michigan, mas este seguiu-lhe o rasto desde o Indiana, aparecendo à sua porta.