O rapaz que agrediu Mariano Rajoy em dezembro do ano passado foi condenado a dois anos de internamento num centro juvenil e a um ano de liberdade condicional. Esta sentença resulta de um acordo alcançado entre o advogado do rapaz, agora com 18 anos, e o Ministério Público.

Inicialmente, a Justiça espanhola tinha considerado o puñetazo de Andrés de Vicente a Mariano Rajoy como um facto “de extrema gravidade”, mas o procurador deixou cair essa qualificação, o que permite que o rapaz possa cumprir apenas parte da pena, consoante o comportamento que demonstre.

O incidente deu-se a 17 de dezembro de 2015, em plena campanha eleitoral para as legislativas espanholas. Mariano Rajoy estava em Pontevedra numa arruada quando Andrés, então com 17 anos, se aproximou calmamente do presidente do governo e, depois de uns minutos a ouvi-lo, lhe deu um forte murro na cara. Rajoy ficou com uma ferida na cara e até partiu os óculos, mas nunca chegou a apresentar queixa pelo sucedido.

Como parte do acordo alcançado, Andrés telefonou diretamente a Rajoy e pediu-lhe desculpa pelo murro.