Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Sempre que passa pelos corredores das grandes lojas de beleza é provável que encontre uma escova de cerdas naturais com um cabo de madeira. O que é (e para que serve) parece ser uma incógnita para os corajosos que se atrevem a olhar para este objeto de beleza mais do que uma vez. Para uma escova tão subestimada, esta tem mais benefícios do que imagina. Em entrevista ao Goop, a especialista Margo Marrone explicou que a usa para fazer uma espécie de esfoliação seca — ou dry brushing, como lhe chama — que ativa a circulação sanguínea, remove as células mortas da pele, estimula os gânglios linfáticos, melhora a digestão, melhora a aparência da celulite e ajuda as células a renovarem-se.

“É inestimável para ajudar em vários problemas mas, especialmente, na desintoxicação”, diz a fundadora da loja The Organic Pharmacy ao site de lifestyle. Para além disso, ainda estimula o sistema linfático que remove fluidos em excesso dos tecidos corporais, absorve os ácidos gordos (um tipo de gordura que exerce funções essenciais para o organismo e está presente em vários alimentos como o leite e o óleo), transporta a gordura para o sistema circulatório e produz células imunes. “Se o sistema linfático está congestionado, pode levar à acumulação de toxinas e, consequentemente, a inflamações e doenças. A escovagem seca estimula o sistema linfático uma vez que ativa e revigora a pele.”

Miranda Kerr e Elle Macpherson são duas das modelos que já se renderam ao método conhecido por combater a celulite e a flacidez:

A escovagem seca do corpo é parte integral da minha rotina diária. É uma ótima forma de ativar a circulação, remover as células mortas da pele, ajudar a drenagem linfática, desintoxicar o sistema e manter a pele macia. Começo nos pés e pernas e continuo subindo com movimentos rápidos e suaves… não precisa de ser muito demorado e leva apenas alguns minutos antes do duche”, escreveu Miranda Kerr no blogue Spread the Light.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Como fazer?

A escovagem da pele deve ser feita em direção ao coração com movimentos suaves, de baixo para cima, com uma escova — de preferência de cerdas naturais e não sintéticas — duas vezes por dia ou uma vez pela manhã. Logo após a primeira esfoliação vai sentir um formigueiro imediato que deixa a pele temporariamente mais estimulada. Ao fim de uma semana, verificámos que a epiderme fica mais macia e suave.

E no rosto?

Mostrar Esconder

No caso da cara, também pode fazer uma esfoliação com uma escova específica para tal. Repita o processo apenas duas a três vezes por semana com movimentos suaves e ascendentes do pescoço para a testa. Finalize com um hidratante facial em óleo.

Atualmente existem vários tipos de escova: uma com cabo comprido para chegar a todas as partes do corpo, e outra com um cabo mais prático que cabe na palma da mão. Há quem use a escova completamente seca e quem acrescente algumas gotas de óleo antes de a usar para ser menos agressivo.

Tome um duche antes da escovagem da pele se usar óleo na escova”, recomenda Margo Marrone ao Goop. “Se não, tome duche depois de escovar a pele e, de seguida, aplique creme ou óleo.”

escovas-e-afins

Escova com cabo da Hydréa London (PVP. 15,18€); Escova sem cabo da Mio (PVP. 19,14€); Óleo de corpo da Bio-Oil (PVP. 14,99€); Escova para o rosto da Mila Moursi (PVP. 35€); Óleo “Rosehip” da Kora Organics (PVP. 33€) e “Energy Bank Body” da This Works (PVP. 35,90€).

Em fotogaleria, siga o plano ilustrado pelo Observador e repita, passo a passo, os movimentos de baixo para cima com uma escova de cerdas naturais. Atenção: não seja agressivo na escovagem seca e privilegie movimentos suaves no sentido ascendente.