Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Bastaram 13 dias para as ações da Nintendo escalarem 127,40% para o máximo de 32.700 ienes (279,83 euros) registados na passada terça-feira na bolsa de Tóquio. Entretanto, a febre gerada pelo lançamento do jogo Pokémon Go, que aconteceu no dia 6 de julho, baixou ligeiramente, mas, mesmo assim, os títulos da empresa japonesa estão a ganhar 96,24%.

Os analistas e os investidores que acompanham a atividade da Nintendo não são unânimes. Alguns afirmam que as ações foram longe de mais e, inclusivamente, apostam na queda dos títulos. Outros dizem que esta subida ainda é o princípio.

Os pessimistas avisam que a Nintendo vale agora mais do que a Electronic Arts ou a Activision Blizzard, os maiores produtores independentes de videojogos, apesar de terem cerca de 7% de quota do mercado global, enquanto a Nintendo, até agora, não ia muito além de 2%.

O otimistas acreditam que o lançamento do Pokémon Go é apenas o início. A expansão global do jogo irá continuar – a aplicação chegou nesta sexta-feira ao Japão – e a estratégia deverá ser expandida às restantes marcas da Nintendo, como Super Mario Brothers e The Legend of Zelda.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Se o sucesso do Pokémon Go perdurar, a Nintendo é uma beneficiária natural, porque detém 32% do consórcio que controla a marca Pokémon e uma porção da Niantic, a companhia que desenvolveu a aplicação. Todavia, não é a única a ganhar. Saiba quais são as outras.

Apple

Teoricamente, a Apple é capaz de ganhar mais com o sucesso do Pokémon Go do que a própria Nintendo. Os analistas estimam que a Apple recolhe 30% das receitas geradas pelas aplicações instaladas nos sistemas iOS. Por isso, por cada 100 euros gastos pelos fãs do Pokémon Go, 30 euros vão para os cofres da Apple. Os restantes 70 euros são dirigidos para a Niantic, a companhia que desenvolveu o jogo. Os analistas explicam que uma parte desses 70 euros é para pagar os direitos à The Pokémon Company, participada em 32% pela Nintendo. O restante fica na Niantic, que também é participada pela Nintendo e por outras empresas, como a Alphabet (ex-Google), e fundos de capital de risco. Ao contrário da Apple, as receitas do Pokémon Go “poderão nunca chegar aos lucros” da Nintendo, avisou o analista Junko Yamamura aos clientes da corretora japonesa Nomura.

As ações da Apple subiram 3,35% na Nasdaq desde o dia 6 de julho, quando o Pokémon Go foi lançado.

McDonald’s Holdings (Japan)

O Pokémon Go estreou-se nesta sexta-feira no Japão, o país que viu Pikachu, a espécie principal da série, nascer há cerca de 20 anos. Porque não foi o primeiro local para lançar o jogo? Porque o presidente da Niantic, John Hanke, não acreditava que os servidores informáticos japoneses tivessem capacidade para a potencial euforia, segundo a Forbes.

A McDonald’s Holdings (Japan), a subsidiária japonesa do gigante norte-americano de comida rápida, posicionou-se para ganhar com o Pokémon Go. Além de oferecer bonecos da coleção Pokémon nos menus Happy Meal, os mais de três mil restaurantes da McDonald’s japonesa são ginásios, os locais no videojogo onde decorrem treinos e combates.

As ações da McDonald’s Holdings (Japan) ganharam 22,92% desde lançamento internacional do Pokémon Go, no dia 6 de julho.

GameStop

Tal como a McDonald’s japonesa, a GameStop, que gere lojas físicas que comercializam videojogos, também se posicionou para ser um foco de captação de fãs do Pokémon Go. O presidente da GameStop, Paul Raines, revelou à CNBC que as lojas que também são ginásios no videojogo registaram um aumento de 100% nas vendas. Na segunda-feira, quando o presidente fez o anúncio, as ações da GameStop chegaram a subir 8,61% na bolsa de Nova Iorque.

Hosiden, Mitsumi Electric e Hon Hai

Em simultâneo com o lançamento do Pokémon Go, a Nintendo anunciou o Pokémon Go Plus, um aparelho móvel que alertará os utilizadores, através de uma ligação ao telefone, para a proximidade de Pokémons. Os fabricantes a quem a Nintendo já recorre para o fabrico das suas consolas, as japonesas Hosiden e Mitsumi Electric e taiwanesa Hon Hai, são os candidatos naturais a produzir também o Pokémon Go Plus. Akihiko Uchino, analista do Mitsubishi UFJ Morgan Stanley, diz que há uma hipóteste “muito real” de ser a Hosiden ou a Mitsumi. Desde o anúncio do novo aparelho, as ações da Hosiden subiram 44,83%, da Mitsumi Electric 36,22% e da Hon Hai 7,48%.