Já há muito que se sabia que Travis Kalanick, presidente da Uber, queria marcar a história da indústria automóvel com um serviço que recorresse a carros autónomos. Esta quinta-feira, foi dado o pontapé de saída: a Uber e a Volvo anunciaram uma parceria para testar um serviço sem condutor em Pittsburgh, nos EUA, com arranque já em agosto. A ideia é que o teste inclua a supervisão de um motorista durante as viagens feitas a bordo de modelo modificado do Volvo XC90. Para usufruir deste serviço, basta utilizar a aplicação.

Para chegar a este objetivo, Travis Kalanick contratou centenas de engenheiros e especialistas em robótica nos últimos anos, avança a Bloomberg. O objetivo é que, no futuro, a empresa consiga substituir os mais de um milhão de motoristas que emprega por um software. Para os analistas, isto pode ser uma realidade que ainda vai demorar décadas a acontecer, mas a Uber quer começar a testá-la já. O modelo da Volvo foi modificado com dezenas de sensores que recorrem a câmaras, lasers, radares e dispositivos de GPS.

Kalanick estima que em 2021 tenha já conseguido desenvolver um carro completamente autónomo, pronto para prestar serviços pela app. Para isso, investiu, juntamente com a Volvo, cerca de 300 milhões de dólares, ou seja, cerca de 266 milhões de euros. E não se fica por aqui. A empresa já anunciou que quer fazer parcerias idênticas com mais marcas automóveis, porque não tem intenções de produzir carros próprios.

“Ainda ninguém conseguiu desenvolver um software confiável que consiga conduzir um carro com segurança sem um humano. E nós estamos focados nisso”, afirmou o líder da Uber.

Travis Kalanick acredita que a Uber pode utilizar os dados que recolhe dos serviços efetuados pela app para melhorar os sistemas de navegação e de mapeamento autónomos. Atualmente, os serviços que são prestados através da aplicação móvel no mundo percorrem cerca de 100 milhões de milhas por dia, ou seja, cerca de 160 milhões de quilómetros.

A partir do final do mês de agosto, os utilizadores da Uber em Pittsburgh que requisitarem um serviço através da aplicação podem realizar a viagem dentro de um destes modelos. A seleção é aleatória e as viagens gratuitas durante o período em teste. O líder da Uber estima que, no longo prazo, os preços caiam de tal forma que o custo por quilómetro de uma viagem num carro sem condutor seja muito mais barata do que num carro privado. O presidente da Volvo diz não estar preocupado e que encara a situação como “uma oportunidade” de mercado.