A Superlua de segunda-feira será a maior e a mais brilhante desde 1948, e o melhor sítio para observá-la em Lisboa, será no Parque das Nações junto à Torre Vasco da Gama. Quem o diz é o Observatório Astronómico de Lisboa (OAL), no sua página na internet.

Segundo o OAL, a melhor altura para se observar a Superlua será quando nasce, às 17h49, uma vez que a estará próxima do horizonte. “O aumento do seu diâmetro vai parecer ainda maior do que a ampliação de 14 por cento causada pela ocorrência de Superlua”, refere o OAL.

Por definição, a Superlua acontece quando a diferença entre os instantes de Lua cheia e do perigeu é menor do que um dia e oito horas. O perigeu lunar ocorre quando a Lua, no percurso da sua órbita, está mais próxima da Terra. Na segunda-feira, às 13h52 (hora de Lisboa), a Lua estará em fase de Lua cheia, tendo passado pelo perigeu, a 356.508,987 quilómetros da Terra, às 11h22. Os dois acontecimentos estão separados por duas horas e meia.

A fase de Lua cheia acontece quando há um alinhamento tipo Sol-Terra-Lua. Uma vez que a órbita da Lua é excêntrica, tal faz com que o satélite esteja umas vezes mais perto, outras mais longe, da Terra, em cada mês lunar, isto é, a cada 27,3 dias.

As Superluas são fenómenos frequentes, que sucedem todos os anos. Contudo, “nem todas terão o mesmo brilho e tamanho aparentes”. O efeito extra de ampliação e brilho, quando a Lua está próxima do horizonte, “é apenas uma ilusão ótica”, avisa o OAL. Este ano, já ocorreu uma Superlua, a 16 de outubro. A 14 de dezembro, voltará a acontecer outra, mas a mais expressiva e “favorável para observar” será a de segunda-feira.

A última vez, segundo o OAL, que uma Superlua se aproximou tanto da Terra foi a 26 de janeiro de 1948, quando a fase de Lua cheia ocorreu às 7h11 e atingiu o perigeu, a 356.460,526 quilómetros da Terra, às 11h18.

Uma Superlua maior que a de segunda-feira só ocorrerá a 25 de novembro de 2034, quando a Lua se aproximar mais da Terra, a 356.445,402 quilómetros.