Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Três dos nomes mais frequentes em qualquer lista de apostas para Prémio Nobel da Literatura poderão estar em Cascais este ano. Haruki Murakami, Paul Auster e Jonathan Franzen estão “disponíveis” para fazer parte do cartaz do Festival Internacional de Cultura (FIC), explicou a Leya ao Observador.

O anúncio foi feito esta quinta-feira pelo vice-presidente da Câmara Municipal de Cascais, Miguel Pinto Luz, que convocou os jornalistas ao Forte da Cruz, na praia do Tamariz, para anunciar os grandes eventos planeados para o concelho para o ano de 2017. Para a terceira edição do FIC, Miguel Pinto Luz revelou os três pesos pesados da ficção literária.

“Todos estes autores estão em processo de confirmação”, esclareceu ao Observador a Leya, que partilha a organização do evento com a autarquia. O primeiro passo importante foi mostrarem disponibilidade. Agora, é preciso “encaixar com as agendas complicadas destes autores”. Por essa razão, o FIC 2017 ainda não tem datas definidas. “Vai prolongar-se durante o mês de setembro”, explicou a editora.

O novo romance de Paul Auster, 4 3 2 1, vai ser publicado em Portugal, no próximo dia 31 de janeiro, em simultâneo com as edições de língua inglesa, anunciou a Leya. Haruki Murakami é publicado em Portugal pela Casa das Letras e Jonathan Franzen pela Dom Quixote, ambas do grupo Leya.

Paul Auster 4321_ASA

Capa de “4 3 2 1”, de Paul Auster, que a ASA vai publicar no dia 31 de janeiro em Portugal.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Outros dois festivais literários escolheram esta quinta-feira para dar as primeiras novidades. O Correntes d’Escritas, que acontece na Póvoa de Varzim entre os dias 21 e 25 fevereiro, terá o autor Juan Gabriel Vásquez. O colombiano vai apresentar o seu mais recente romance, A Forma das Ruínas (Alfaguara).

Já o Festival Literário da Madeira (FLM), que este ano escolheu como tema “Literatura e a Web – Entre o Medo e a Liberdade”, anunciou que a sétima edição acontece entre 14 e 19 de março. Há um ano, Francesco Valentini, o diretor-geral da Nova Delphi, que organiza o FLM, garantiu ao Observador que Svetlana Alexievich, Prémio Nobel da Literatura em 2015, se tinha também mostrado disponível para estar presente. As primeiras confirmações deverão chegar nos próximos dias.