O Benfica reagiu em comunicado, esta quinta-feira, ao polémico cântico que a claque afeta ao FC Porto entoou na noite passada, quando as duas equipas se defrontaram num jogo de andebol. “Ai quem me dera que o avião da Chapecoense fosse do Benfica” foi a frase proferida em coro, numa clara alusão ao desastre de avião que aconteceu em novembro do ano passado e que vitimou praticamente toda a equipa de futebol brasileira da Chapecoense.

No comunicado, o Benfica apelida o sucedido de “triste episódio”. Considera ainda que a atitude da claque portista “a todos nos envergonha e que estamos certos em que ninguém se pode rever, sirva para todos refletirmos sobre as nossas responsabilidades e contribuirmos para parar este clima de tensão.”

O clube da Luz aproveitou também para saudar a atitude da direção portista que prontamente se demarcou do sucedido.

O Sport Lisboa e Benfica registou e manifesta satisfação por ter verificado a forma célere como a instituição Futebol Clube do Porto se demarcou do muito grave e lamentável cântico que ontem se ouviu.”

Polémica além-fronteiras

A atitude dos adeptos do FC Porto depressa se alastrou por cá, com as redes sociais a fazerem eco de muitas críticas perante o cântico. No entanto, a polémica já chegou além-fronteiras, neste caso ao Brasil, país da equipa da Chapecoense. No Twitter, o jornalista brasileiro, Leonardo Bertozzi, comparou os responsáveis pelo cântico a alguém que se comporta como “um completo idiota”.

Entretanto alguns adeptos do FC Porto quiseram demarcar-se da polémica e criaram a ‘hashtag’ #PedimosDesculpaChape como forma de pedir desculpa à equipa brasileira.

https://twitter.com/acordaputo/status/852401381722005504