Uma equipa é trancada dentro de uma sala, de livre e espontânea vontade, e o objetivo é apenas um: escapar. O trabalho de equipa é essencial e os enigmas podem ir da mais simples lógica à junção de várias pistas. São portas, gavetas, cadeados e muito mais coisas que podem (e devem) ser abertas para que a equipa consiga sair da sala antes do tempo acabar e para serem os heróis da história.

Esta é a ideia por detrás dos Live Escape Games – também conhecidos como jogos de fuga -, um conceito que tem vindo a ganhar cada vez mais adeptos e que já conta com mais de 26 empresas em Portugal dedicadas a este tipo de entretenimento que obriga as pessoas a pensar “fora da caixa”. Na Escape Game Week, a “concorrência” passou a ser parceira e, de 22 a 28 de maio, 26 Escape Games de todo o país vão participar no evento que oferece descontos até 50% em mais de 34 jogos de fuga em Portugal.

“O grande objetivo deste evento é de proporcionar um maior conhecido do que é um Escape Game às pessoas de todo o país”, explica ao Observador Jorge Correia, um dos fundadores da Puzzle Room. “Apesar de o ano passado ter havido um grande aumento na procura destes jogos”, acrescenta Jorge, “houve aqui uma junção de forças para que todos consigam chegar a mais pessoas”.

A Escape Game Week é uma forma de os concorrentes se unirem por uma única causa. “As empresas mais pequenas conseguem ter algum destaque com a ajuda das maiores e, no final, o cliente tem a possibilidade de experimentar mais jogos a preços mais convidativos”, explicou ao Observador João Santos, fundador e responsável pelo Lisbon Escape Game, o primeiro jogo do género em Portugal.

Raquel Coelho, que faz parte do departamento de comunicação do Mystery Escape Game, avança ao Observador que, apesar de em Portugal ainda ser um conceito pouco conhecido, existe já muito turismo associado aos jogos de fuga. “Muitos turistas que chegam ao nosso espaço vieram a Portugal com o intuito de fazer o maior número de Escape Games que conseguirem. No entanto, 90% dos nossos clientes [portugueses] não sabe ao que vem.”

Este é um ramo onde a “concorrência” não é vista como um perigo mas sim como uma ajuda. “A maneira como encaramos as empresas de Escape é parecida com o que acontece no cinema: ao divulgar um filme não se está a roubar clientes a outro filme”, esclarece Jorge Correia, acrescentando que cada empresa tem uma história e uma “visão diferente” para cada jogo. “Se as pessoas gostarem do conceito aqui, amanhã podem ir experimentar outro ali. Aliás, muitos dos visitantes que a Puzzle Room recebe vão lá porque outra empresa de Escape nos recomendou”, conclui.

“Esta é uma alternativa cultural”, diz-nos Raquel Coelho, “durante 60 minutos garantimos que não se recordam do stress diário”. Com diferentes temáticas espalhadas por todas as salas do país, os concorrentes podem encarnar o papel de espiões, de investigadores, de prisioneiros e podem precisar de conhecimentos históricos, de cultura geral, de química, etc. Claro que estes conhecimentos são num nível mais básico para que os jogos sejam acessíveis e divertidos para todos os participantes de (quase) todas as idades.

O início dos Escape

A nível mundial os jogos de fuga tiveram origem em Budapeste. “Foi pelas mãos de um Japonês que viajou até Budapeste e criou o primeiro Escape Game”, contou-nos Raquel Coelho. O conceito foi-se espalhando aos poucos e, em Portugal, o Lisbon Escape Game foi o primeiro de todos.

A verdade é que tudo isto “começou com uma brincadeira, um passatempo” explicou João Santos. “Ao início eu até perguntei à Ana [também fundadora] ‘mas quem é que vai gostar disto?’, ao que parece, muita gente gostou”, explica-nos o Game Master – termo atribuído aos responsáveis que ficam encarregues de vigiar o jogo.

João Santos assume que “se é um jogo real tem de ser mesmo real” e é assente neste pensamento que o Lisbon Escape Game não é feito numa sala mas sim numa casa preparada para o jogo, onde o primeiro desafio é entrar no local de onde vamos ter de sair. A ideia de um Escape Game é ser uma alternativa para os tempos livres. “O que vou fazer? Até gosto de estar com o pessoal a beber uns copos, mas acho que hoje prefiro trancar todos numa sala a ver se conseguimos sair”, exemplifica João.

Escape Game Week

A Escape Game Week decorre de 22 a 28 de Maio e conta com a participação de 26 empresas de jogos de fuga que vão oferecer descontos até 50% em 34 salas de jogo.

Um pouco por todo o país, este é o primeiro evento do género em Portugal que reúne parceiros desta atividade de Norte a Sul de Portugal:

  • Aveiro: Can You Escape?, Solve & Escape
  • Coimbra: Brainmaze, Puzzle Room Coimbra
  • Évora: Puzzle Room Évora
  • Funchal:The Breakout Funchal
  • Óbidos: O Escape Tower
  • Lisboa: Enigma Lisbon, Escape Hunt Experience, Escape Rossio, Escape2Win, Lisbon Escape Game, Locked in Riddles, Lostroom Portugal, Lx Escape, Mystery Escape Game, Original 3scap3 e Puzzle Room Lisboa.
  • Leiria: Unum Secretum
  • Porto: Breakout Porto Escape Game, Escape Challenge, Porto Exit Games e Mystery Escape Game Porto
  • Setúbal: 7Escape
  • Torres Vedras: Epic Escape Game
  • Viseu: Sherlock’s Room