“O que tu fazes tem impacto. Dentro das nossas possibilidades podemos ter um impacto. É a grande diferença relativamente ao trabalho que fazíamos numa multinacional. No final do dia não sentíamos que tivéssemos feito alguma diferença na vida das pessoas. No nosso caso, com a Pumpkin, estamos a fazer pessoas felizes. Há quem nos siga há sete anos e que nos vem dizer que tornámos o seu tempo em família muito mais feliz. Isso faz-nos correr, faz-nos continuar. Não queremos um grande carro ou uma grande casa, queremos fazer a diferença na vida das pessoas. É essa a nossa definição de sucesso.

Ambos trabalhámos em multinacionais e ficámos com a noção exata de que havia coisas que não queríamos fazer. É muito importante que o trabalho que desenvolvemos tenha um resultado positivo, seja uma força para o bem. Com a Pumpkin é isso que sentimos. Sendo que o nosso retorno económico também vai gerar riqueza para as famílias que nos acompanham e trabalham connosco. Aquilo que define se somos bem sucedidos é sentir que estamos tranquilos na nossa pele e que o que estamos a fazer tem sentido.

Arma secreta: resiliência

Temos de ser sinceros: houve momentos em que tivemos de decidir se continuávamos este caminho ou não. Acreditávamos que sim, mas foi necessário refletir bem. Temos de ser muito resilientes porque nem sempre o sucesso aparece como estava desenhado nos nossos powerpoint fantásticos. De qualquer forma, tínhamos confiança de que esse dia ia acontecer. Ao fim de um tempo percebes que, independentemente de todas as análises muito técnicas que possas fazer, que as melhores decisões vêm da barriga. Na realidade, já sabes qual é o caminho e começas a tentar justificá-lo com todo o tipo de dados, porque vinhas de um mundo muito analítico, mas aprendes a confiar mais em ti. E vamo-nos adaptando, porque nem sempre as coisas funcionam como queríamos.

Missão: espalhar felicidade

Desde o início, a nossa missão foi promover a felicidade das famílias, embora tenhamos começado a fazê-lo de uma forma totalmente diferente. No início criámos uma plataforma online que agregava serviços e atividades para pais e filhos. Transformamos isso num site de conteúdos com temática ligada às famílias – onde continuamos a promover as atividades dos nossos parceiros. Hoje, a Pumpkin chega a mais de 100 mil famílias por mês e conta com mais 2000 parceiros em todo o país. Mas a missão continua exatamente igual: “vamos fazer mais pessoas felizes com isto? Sim, vamos. Então avançamos” Esta é a nossa base de sustentação.

É claro que, nos últimos sete anos, foi necessário ultrapassar algumas dificuldades, subir alguns “montes”. A parte fantástica é que os subimos juntos. É difícil, como casal, separar a área profissional da pessoal e há alguns dias melhores que outros. Mas nestes sete anos de caminho conseguimos fazê-lo e subimos juntos estes montes.

Facilita sermos complementares em termos de competências, sabermos ouvir mas também não nos intrometemos nas áreas um do outro. Conhecemo-nos e respeitamo-nos profissionalmente, além de adorarmos passar o dia juntos. É uma grande vantagem.

Separar as águas

Trabalharmos juntos é excelente mas é igualmente necessário fazer essa distinção entre a vida profissional e a pessoal. No nosso quarto não há conversas sobre trabalho e todos os anos temos de ter uma ou duas semanas de férias sem falar de negócios. Este ano tivemos ainda o luxo de estar sozinhos uma semana sem as nossas filhas, que ficaram com a avó. É indispensável encontrar este equilíbrio. Mas também é importante ter um tempo para cada um de nós, sozinhos. Fazemos meditação e ioga, por exemplo. Porque é essencial para a nossa produtividade e criatividade existirem estes períodos de tempo em que não estamos a pensar no negócio.

Felicidade em cada momento

A nossa filosofia de vida – e, consequentemente, a da Pumpkin – é apreciar a vida em cada momento e não apenas nas férias ou no fim de semana. Todas as oportunidades que tivermos de ir buscar as crianças para ir passear, almoçar, fazer uma noite de piza ou ver a chuva cair são preciosas. Mas temos de estar sintonizados para dar a estes momentos o valor que eles têm.

Ao longo dos anos aprendemos igualmente a misturar a costela holandesa, mais planeada, e a portuguesa, mais flexível, e fazer disto uma coisa muito gira. Tentamos passar essa ideia às nossas meninas: “aproveitem o hoje, o agora”. Temos de procurar estar felizes todos os dias pois só assim temos energia para ter sucesso e contribuir para a felicidade dos outros.

Planear e improvisar

Não vale a pena fazer muitos planos a longo prazo porque as coisas mudam rapidamente. Remodelámos recentemente o nosso site e agora vamos ver qual é o próximo passo. Na realidade, ideias há muitas, estamos numa encruzilhada cheia de oportunidades e vamos ver qual será a direção a seguir. Mas a nossa “barriga” ainda não falou. Ainda não tomámos nenhuma decisão. Temos uma ideia de onde queremos chegar e tão depressa podemos ser bem sucedidos daqui a três meses como dois anos ou não ser de todo, mas não faz mal. Claro que somos ambiciosos, mas é preciso aceitar que só podemos fazer um determinado número de coisas por dia. Apesar de já termos uma equipa igualmente empenhada. Aliás, uma das faces do sucesso da empresa é também a sua equipa. Ver crescer as pessoas que têm começado a sua experiência profissional connosco e perceber o papel que a Pumpkin teve na sua vida é extraordinário. É muito bom sentir que fazemos parte de uma família maior. Ajuda a sentir que este é um projeto de sucesso porque faz muitas famílias felizes, está sustentável e vai crescendo. Mesmo as nossas filhas se sentem envolvidas. E o sucesso vem precisamente de toda esta motivação interna.

Estamos muito contentes com o caminho que temos vindo a fazer.

Para mais histórias de sucesso clique aqui