O turismo cresceu em Portugal 19% desde o início do ano, tendo registado em setembro o maior aumento, disse esta quarta-feira, em Fátima, o ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral.

“Os números do turismo desde o início do ano mostram que a estratégia que seguimos de diversificação dos espaços de turismo está a ter bons resultados e a ter um crescimento mais forte em regiões onde tinha menos intensidade”, afirmou o governante.

O ministro da Economia, que falava aos jornalistas à margem do Congresso Internacional de Turismo Religioso e Peregrinação, que decorre quarta e quinta-feira em Fátima, adiantou que o crescimento está a ser mais forte na chamada época baixa.

Segundo Caldeira Cabral, os números mostram que a subida em setembro foi maior do que em agosto, situação que já se verificou o ano passado.

“O turismo está a ser mais forte na chamada época baixa e, portanto, o crescimento do turismo está a espalhar-se mais ao longo de todo o ano, da mesma forma que também se está a espalhar mais por todo o país”, sublinhou.

Trata-se, de acordo com o governante, de uma realidade “muito importante para a estabilidade do setor, para que não seja tão sazonal, com picos de emprego no verão e depois picos de desemprego no inverno, e para poder manter emprego ao longo de todo o ano”.

O ministro da Economia salientou ainda o forte crescimento do turismo religioso verificado este ano, “em linha com o mercado em geral”, embora tenha beneficiado da vinda do Papa Francisco ao santuário de Fátima.

Em 2016, o Santuário de Fátima acolheu cerca de seis milhões de peregrinos em celebrações, sem contar com o número de visitantes que acabam por não participar nas celebrações.

Um número que, segundo as estimativas, deverá aumentar este ano em cerca de 40%, com as dormidas a ultrapassarem um milhão, das quais 70% reservadas por estrangeiros.

O Santuário de Fátima, que este ano comemorou o centenário das aparições, registou um aumento considerável de peregrinos provenientes da Ásia, consolidando assim a sua internacionalização, disse à agência Lusa o padre Carlos Cabecinhas.

O reitor do Santuário referiu que 2017 é um ano de “crescimento incrível de peregrinos em Fátima”.

“Nós já tínhamos um grupo muito significativo de peregrinos europeus e da América Latina, mas este ano a grande novidade foi a Ásia, com crescimento exponencial dos peregrinos vindos da Coreia do Sul, da Índia, da Indonésia e das Filipinas e também da China continental”, salientou.