A adesão à greve dos tripulantes portugueses da Ryanair ultrapassa os 90%, mas a transportadora aérea está a substituir os grevistas por tripulantes de outros locais, “cometendo uma ilegalidade”, garantiu esta quinta-feira a presidente do Sindicato Nacional Do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC).

“Há uma substituição de grevistas porque a Ryanair, novamente cometendo uma ilegalidade, traz tripulantes de outras bases para fazer os voos a partir das bases em Portugal”, criticou Luciana Passo, dirigente do SNPVAC.

Os tripulantes de cabine da companhia aérea de baixo custo começaram às 00h00 de quinta-feira o primeiro de três dias não consecutivos de greve, durante o período da Páscoa, para exigir o respeito de direitos previstos na lei nacional.