Futebol

Shanghai SIPG de Vítor Pereira perde com Kashima Antlers na ‘champions’ asiática

Derrota por 3-1 na primeira mão dos oitavos-de-final com os japoneses do Kashima Antlers compromete a continuidade do Shanghai SIPG na prova. Segunda mão joga-se no da 16 de maio.

HUGO DELGADO/EPA

Autor
  • Agência Lusa

O Shanghai SIPG, orientado pelo treinador português Vítor Pereira, comprometeu esta quarta-feira a continuidade na Liga dos Campeões asiáticos de futebol, ao perder no terreno do Kashima Antlers, por 3-1, na primeira mão dos oitavos de final. A equipa japonesa colocou-se em vantagem antes do intervalo, através de Yuma Suzuki (43 minutos), e chegou ao 3-0 na segunda, com um tento Daigo Nishi (49) e um autogolo de Yu Hai (75), que logo depois faria a assistência para o brasileiro Elkeson reduzir a diferença e fixar o resultado final (77).

O conjunto de Vítor Pereira, que lidera o campeonato chinês, apesar das duas derrotas e do empate acumulados nas últimas três jornadas, recebe o Kashima Antlers em 16 de maio, no jogo da segunda mão.

Noutros encontro da primeira mão, o Al-Sadd, do Qatar, comandado por Jesualdo Ferreira, venceu em casa os sauditas do Al Ahli, por 2-1, na segunda-feira, enquanto o Tianjin Quanjian, equipa chinesa treinada por Paulo Sousa, empatou a zero na receção ao Guangzhou Evergrande, heptacampeão da China e vencedor da ‘champions’ asiática em 2015.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Sindicatos

Vivam as greves livres

Nuno Cerejeira Namora

Estes movimentos têm de ser encarados como o sintoma de um mal maior: a falência do sindicalismo tradicional e a sua incapacidade de dar resposta às legítimas aspirações dos seus filiados.

Sri Lanka

Ataque terrorista à geografia humana de Portugal

Vitório Rosário Cardoso

É quase indissociável desde o século XVI na Ásia marítima a questão de se ser católico e de se ser Português porque afirmando-se católico no Oriente era o mesmo que dizer ser-se Português. 

Museus

Preservação do Património Cultural

Bernardo Cabral Meneses

As catástrofes ocorridas no Rio de Janeiro e em Paris deverão servir de exemplo para ser reforçada a segurança contra incêndios nos edifícios e em particular nos museus portugueses.

Liberdades

Graus de liberdade /premium

Teresa Espassandim

Ninguém poderá afirmar que é inteiramente livre, que pouco ou nada o condiciona, como se a liberdade significasse tão só e apenas a ausência de submissão e de servidão.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)