O basquetebol português não está a atravessar propriamente o melhor momento da sua história mas o novo quadro competitivo, com fase regular e uma segunda fase antes de chegarmos aos playoffs, trouxe um visível acréscimo a nível de competitividade e emoção à prova. A Oliveirense tem sido uma grande revelação (ao ponto de chegar às rondas a eliminar no primeiro lugar), o V. Guimarães teve um grande duelo com o CAB Madeira nos quartos que foi apenas decidido na “negra”, o Galitos e a Ovarense conseguiram também bons momentos. Depois há aquele clássico que, em qualquer modalidade, é sempre um encontro à parte: o Benfica-FC Porto, que teve este domingo no Pavilhão da Luz o oitavo capítulo da presente temporada, entre jogos oficiais e particulares na pré-temporada.

Entre 2 de setembro e 25 de maio, os duelos entre águias e dragões foram os seguintes:

* Torneio Internacional de Viana do Castelo (neutro): Benfica, 79-73
* Fase regular do Campeonato (Luz): Benfica, 77-71
* Fase regular do Campeonato (Dragão): FC Porto, 89-81
* Quartos da Taça de Portugal (neutro): Benfica, 99-95
* Segunda fase do Campeonato (Luz): Benfica, 86-68
* Segunda fase do Campeonato (Dragão): FC Porto, 98-85

É fácil perceber pelas contas que, olhando para aquilo que se tinha assistido ao longo da temporada, os encarnados partiam com ligeiro favoritismo nesta eliminatória das meias-finais, até pela solidez dos triunfos conseguidos na Luz frente ao FC Porto; no entanto, o primeiro jogo desta ronda, sexta-feira, acabou por mudar a perspetiva das restantes partidas, com os dragões a terem uma entrada avassaladora (William Sheehey e Sasa Borovnkak foram os grandes destaques) e a conseguirem ganhar por 90-79, anulando logo na primeira hipótese o “fator casa” dos rivais.

Basquetebol. FC Porto bate Benfica e ganha vantagem nas meias-finais do ‘play-off’

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Com tudo isto, é fácil perceber a pressão extra do Benfica neste jogo 2. Uma pressão que acusou, e de que maneira, em grande parte dos primeiros 20 minutos: depois de uma entrada a perder por 9-2 nos primeiros três minutos, os encarnados continuaram demasiado passivos na tabela defensiva (dando assim sucessivas tentativas aos atiradores azuis e brancos) e viram os comandados de Moncho López concluírem o período inicial com 11 pontos de avanço (23-11). Depois, entre protestos pelo acumular de faltas na tentativa de travar as torres dos dragões, os jogadores de José Ricardo foram encurtando distâncias, perdendo por apenas cinco pontos ao intervalo (38-33).

O segundo tempo trouxe outro equilíbrio de forças, com o Benfica a encontrar mais soluções de ataque ao mesmo tempo que o FC Porto sentia outras dificuldades no ressalto ofensivo (uma das chaves na primeira parte). A meio do terceiro período, os encarnados conseguiram mesmo passar para a frente pela primeira vez (45-44), mas os azuis e brancos agarraram bem no encontro, travando o ascendente qualitativo e anímico do adversário, e conseguiram levar todas as decisões para o quarto e último período com um empate a 55 pontos.

No derradeiro parcial, o lançamento exterior começou a sair com outra fluência e as águias ganharam pela primeira vez uma vantagem de nove pontos (72-63) com pouco mais de cinco minutos por jogar. O FC Porto ainda voltou a ter uma aproximação perigosa, mas dois turnovers desnecessários e uma bola perdida no ressalto defensivo a poucos segundos do fim hipotecaram por completo as possibilidades de voltar a vencer na Luz, apesar da margem mínima de dois pontos com que a partida chegou ao fim (77-75) e dos protestos por uma possível falta no último lançamento do encontro, feito no derradeiro segundo. Ainda assim, a equipa de Moncho López tem agora dois encontros no Dragão onde pode fechar a eliminatória e alcançar a final.

O poste Miroslav Todic, com 11 pontos e oito ressaltos, foi eleito o MVP da partida. William Sheehey, com 17 pontos, foi o melhor marcador do encontro, seguido de Damier Pitts e Pedro Pinto (ambos com 14).

De referir que, na outra meia-final, a Oliveirense confirmou o seu favoritismo frente ao V. Guimarães, vencendo no Pavilhão Salvador Machado por 82-70 no primeiro jogo com 22 pontos de Quintroll Thomas e 18 de Travante Williams. Na segunda partida, realizada também este domingo, a equipa liderada por Norberto Alves conseguiu novo triunfo expressivo por 99-68 (com 22 pontos do MVP James Ellisor) e encontra-se apenas a uma vitória de alcançar a final do Campeonato. Os próximos jogos realizam-se a 1 de junho, quinta-feira.