Até agora, o título de melhor fotografia do Campeonato do Mundo da FIFA parecia pertencer a uma imagem captada por Rodrigo Villalba durante a partida entre a Polónia e o Senegal. Conforme o fotógrafo chegou a explicar à imprensa, a fotografia mostrava a mão do polaco Thiago Rangel Cionek a ajudar o senegalês Sadio Mané a levantar-se do chão. Quando viu aquele momento, Rodrigo Villalba não tardou a eternizá-lo: “Quando as duas seleções entraram no campo, fiquei impressionado. Era muito contraste. O Senegal muito negro, negro. A Polónia, branca. Fiquei com essa ideia na cabeça, à espera do momento”.

O momento chegou e até foi partilhado pela FIFA nas contas oficiais. Mas há outra fotografia que pode destronar a imagem captada por Rodrigo Villalba: a que foi tirada esta tarde no jogo entre França e Argentina no momento em que um remate à baliza dos argentinos encaminhou a bola para a quina da baliza sob o olhar atento de Armani, o guarda-redes argentino.

Antoine Griezmann investiu contra a baliza argentina, mas a Telstar foi ter ao poste e a bola — que se contorceu como mostra a fotografia — não chegou a fazer abanar as redes de Armani. O guardião ainda se preparou para reagir ao remate, mas limitou-se a olhar para a bola. A fotografia mostra precisamente esse olhar de Armani para uma bola que o traiu por quatro vezes durante o França-Argentina.

Ainda não se sabe quem tirou esta fotografia, que já está a circular nas redes sociais como uma das preferidas entre o álbum de recordações do Mundial 2018. A fotografia testemunha também as dificuldades que os argentinos tiveram em fazer frente a uma França que conquistou um lugar nos quartos de final do Campeonato do Mundo com um resultado renhido: os franceses marcaram quatro golos, enquanto a Argentina ficou-se pelos três — embora tenha tentado chegar à igualdade quando o relógio já esgotava o tempo de compensação.

Para a posterioridade fica esta fotografia de Armani de olhos vidrados numa bola perdida.